Traficante internacional de animais é condenado a 10 anos de prisão no RJ

Tcheco Tomas Novotny foi preso durante operação Oxossi, da Polícia Federal, em 2009

Solange Spigliatti, estadão.com.br

31 Agosto 2011 | 14h02

SÃO PAULO - O tcheco Tomas Novotny, preso durante operação Oxossi, da Polícia Federal, em 2009, foi condenado a 10 anos de prisão pelos crimes de receptação e contrabando de animais silvestres e formação de quadrilha.

A denúncia, oferecida pelos procuradores da República Renato Machado e Maurício Manso, pedia a prisão de Novotny por seu envolvimento em um esquema de receptação e exportação de aves silvestres, vendidas no exterior.

Ele intermediava, mediante pagamento, as negociações entre os caçadores e estrangeiros, aproveitando-se de sua fluência no idioma português para facilitar a comunicação entre as partes.

"A sentença proferida é importantíssima, pois confere ao tráfico internacional de animais silvestres um tratamento compatível com sua gravidade, protegendo assim a biodiversidade brasileira", diz o procurador Renato Machado.

A Operação Oxossi, que prendeu Novotny, foi feita em conjunto pelo MPF com a Polícia Federal. Na ocasião, o MPF ofereceu três denúncias contra 69 integrantes de quadrilhas de contrabando de animais que atuavam no Brasil e no exterior, pelos crimes de formação de quadrilha, receptação, caça a fauna silvestre, abuso e maus-tratos a animais silvestres.

Mais conteúdo sobre:
Contrabando animais tcheco Polícia Federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.