Traficante morto em operação da polícia é enterrado no Rio

Em tentativa de homenagem no Morro dos Tabajaras, homem acabou morto; 200 pessoas assitiram cerimônia

Clarissa Thomé, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2009 | 19h35

Homenageado com 18 coroas de flores, o traficante Leandro Monteiro Reis, o Pitbull, foi enterrado em caixão de luxo na tarde desta sexta-feira, 30, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, na zona sul. E numa tentativa de homenagear Pitbull, traficantes da Ladeira dos Tabajaras, em Copacabana, planejaram uma queima de fogos. A PM foi informada e impediu a manifestação. Houve troca de tiros e um homem, de cerca de 23 anos, morreu no Hospital Municipal Miguel Couto.   Veja também: Comércio reabre na Mangueira após 2 dias de tensão  Ônibus são incendiados no Rio   Pitbull, chefe da venda de drogas no Morro da Mangueira, morreu na quarta-feira, em confronto com policiais civis. Na ocasião, quatro ônibus foram queimados, na tentativa de desviar a atenção dos policiais e retirar Pitbull, ferido, do morro. O corpo dele foi localizado, à noite, no Hospital Souza Aguiar.   O corpo do traficante foi liberado pelo Instituto Médico Legal de manhã. No atestado de óbito, não consta o nome de Pitbull. Apenas a informação "homem não identificado". O Instituto Félix Pacheco (IFP) não localizou a ficha papiloscópica que permitiria a comparação das digitais.   Policiais militares escoltaram o corpo do traficante até a capela 1 do Cemitério São João Batista. Quatro ônibus levaram moradores da Mangueira. O enterro foi acompanhado por cerca de 200 pessoas. As coroas de flores foram enviadas por favelas ligadas ao Comando Vermelho.      

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.