Traficante Polegar é transferido do Rio para penitenciária em Porto Velho(RO)

Foragido e condenado a 22 anos de prisão, o criminoso foi detido no último dia 19 no Paraguai

estadão.com.br,

29 Outubro 2011 | 04h50

SÃO PAULO - O traficante Alexander Mendes da Silva, o "Polegar", de 37 anos, um dos bandidos mais procurados pela polícia do Rio, deixa, neste final de madrugada de sábado, 29, a capital fluminense rumo à Penitenciária Federal de Segurança Máxima de Porto Velho (RO).

 

Agentes penitenciários e policiais federais realizaram há pouco uma operação de retirada do criminoso do presídio de Bangu 1, na zona oeste do Rio. Sob forte escolta, o veículo em que estava Alexander Mendes seguiu para o Aeroporto Internacional Tom Jobim, onde chegou por volta das 4h40.

 

O traficante embarcaria em um jato da Polícia Federal. A transferência do Rio para Rondônia foi autorizada pela juíza corregedora da penitenciária federal em Porto Velho, Juliana Maria da Paixão. O documento com o pedido de transferência de Polegar chegou às mãos da juíza corregedora na segunda-feira, 24.

 

Ex-chefe do tráfico de drogas do Morro da Mangueira, onde, em junho de 2010, foi instalada a 18ª Unidade de Polícia Pacificadora (UPP), Polegar era o criminoso mais procurado pela polícia fluminense e acabou preso no último dia 19 na cidade de Pedro Juan Caballero, no Paraguai, na fronteira com o Brasil, portando documentos falsos, com os quais tentava comprar um carro de luxo.

 

Na casa onde o traficante morava, os policiais paraguaios teriam encontrado U$ 50 mil. Em novembro de 2010, quando o conjunto de favelas do Alemão foi tomado pelas polícias civil e militar, o traficante conseguiu escapar. Condenado a 22 anos de prisão, Polegar, em setembro de 2009, saiu da prisão, em Benfica, zona norte do Rio, para onde não voltou mais, ao ganhar o direito do regime aberto, pois já havia cumprido um sexto da pena.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.