Traficante preso no PR morre em cela da PF

Preso na noite de sexta-feira, por suspeita de tráfico de drogas, Edson Almeida Karpinski, de 60 anos, foi encontrado morto em uma cela da Superintendência da Polícia Federal (PF) de Curitiba, Paraná, na madrugada de anteontem. Segundo a PF, ele teria usado uma blusa para se enforcar. Um inquérito vai apurar as circunstâncias de sua morte. De acordo com o superintendente da PF no Paraná, Delci Carlos Teixeira, o suspeito foi preso no posto da Polícia Rodoviária Estadual em São Luiz do Purunã, cidade próxima da capital paranaense. Os policiais, com a ajuda de cães farejadores, encontraram 25 quilos de cocaína no fundo falso do carro dirigido por Karpinski, que vinha do Paraguai. Segundo Teixeira, o suspeito já tinha passagens na polícia por tráfico de drogas. Levado para a carceragem da superintendência da PF, ele atendeu à solicitação dos policiais e entregou a chave do seu apartamento em Curitiba para que uma busca fosse realizada em sua residência. De acordo com o superintendente, os policiais foram até o local e apreenderam um computador e um aparelho de GPS, além de documentos. Quando retornaram ao prédio da PF, por volta de 1h40, acabaram encontrando Karpinski já morto em sua cela. Teixeira disse que os policiais cumpriram o procedimento padrão de retirar o cadarço dos sapatos e a cinta do suspeito quando ele foi colocado na cela. Os policiais que prenderam Karpinski e que o encontraram morto já foram ouvidos no inquérito. A cela também passou por perícia do Instituto de Criminalística. A PF vai apurar, em outro inquérito, a origem da droga apreendida no automóvel do suspeito. Karpinski era piloto de avião e, no ano de 2003, tinha sido preso no aeroporto Santana, na cidade de Ponta Grossa (PR), quando transportava 42 quilos de cocaína pura com outro acusado de tráfico. Ele estava em liberdade provisória.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.