Traficante que seria membro do PCC é preso em Alagoas

O traficante Ronaldo Calado Mendonça, preso em Alagoas, no fim de semana, será transferido para o sistema prisional de São Paulo, na próxima sexta-feira, 20. Ele foi identificado nesta terça-feira, 17, em Maceió, pelo delegado de Bauru, Silberto Sevilha, como sendo membro da facção criminosa Primeiro Comando da Capital (PCC). Segundo Sevilha, Mendonça é responsável por oito incêndios criminosos na cidade paulista, durante os ataques do PCC este ano.De acordo com o delegado, Mendonça seria o segundo homem mais forte do PCC em Bauru, comandando inclusive o tráfico de drogas na região. "Ele era o capitalista do tráfico. Não metia a mão na droga, mas comandava as operações", destacou Sevilha. Conforme o delegado, o comando do PCC é conhecido como "Torre" e funciona dentro dos presídios paulista. Para que as ordens cheguem aos "pilotos", eles utilizavam os "homens da sintonia". Mendonça era um dos pilotos. Por esta razão, teria recebido a incumbência de organizar oito incêndios a ônibus, nos dias 12 e 13 de julho deste ano. "Identificamos todos os envolvidos já no dia 14 de julho. Prendemos quase todos, o Ronaldo Calado foi o único que conseguiu fugir. Mas, graças ao trabalho da Polícia Civil de Alagoas conseguimos chegar a este último integrante do bando e prendê-lo", afirmou Seveilha.Ronaldo Calado Mendonça foi preso na casa de familiares no Conjunto Eustáquio Gomes de Melo, no Tabuleiro do Martins. Ele nega envolvimento com o crime organizado e diz que nunca pertenceu ao PCC. "Eu saí de São Paulo por orientação do meu advogado. Ficaria em Maceió até o processo ser resolvido. Nunca pertenci ao crime organizado e só fui preso uma única vez, mas a situação já foi esclarecida. Tenho um filho de 1 ano e 7 meses e só quero uma oportunidade para viver em paz e criá-lo", defendeu-se.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.