Traficantes decretam toque de recolher em Sâo Paulo

Pelo menos 10 homens armados impuseram nesta quinta-feira aos comerciantes do Jardim Camargo, região do Itaim Paulista, na zona leste da capital, um toque de recolher em sinal de luto pela morte do estudante Wellington de Oliveira Bispo, de 20 anos, ocorrida na noite desta quinta-feira. A Polícia Militar negou, em nota divulgada à imprensa, que a quadrilha tenha obrigado os comerciantes a fecharem suas lojas. Alguns moradores confirmaram a ação do grupo. Policiais das Ronda Ostensiva Tobias de Aguiar (Rota) e da Polícia Civil foram para o local para garantir segurança aos moradores e comerciantes. A operação da polícia terminou às 18 horas. Seis pessoas foram detidas para averiguação e liberadas em seguida. De acordo com moradores, que preferiram não se identificar, alguns integrantes da quadrilha moram na Favela do Boi. A ação começou às 11 horas desta quinta-feira. A quadrilha, dividida em dois grupos, teria saído pelas Ruas Magnólia Azul e Bétula Negra, ordenando aos comerciantes que fechassem as portas. A determinação do bando dividiu a opinião dos comerciantes da Avenida Itajuíbe, a principal do bairro. Nem todos acataram a ordem. Não houve violência. Os comerciantes também não prestaram queixa ao 50º Distrito Policial. O estudante, que morava na Rua Margarida Africana, não tinha passagem pela polícia. Ele foi morto em frente à Escola Estadual Pedro Brasil Bandecchi, onde estudava. A polícia ainda não tem pistas do assassino. Uma amiga de Bispo contou que ele estava com a namorada na saída da escola quando foi baleado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.