Tráfico manda comércio fechar as portas no Rio

Traficantes da facção criminosa Comando Vermelho deram ordens aos comerciantes de vários bairros das zonas norte e sul do Rio de Janeiro para que mantenham as portas de suas lojas fechadas na manhã desta segunda-feira. Escolas públicas e particulares também estão sem aulas por causa das ameaças. Segundo a Polícia Militar, a ação dos bandidos seria uma represália à suspensão de regalias impostas ao traficante Fernandinho Beira-Mar, que está preso no Batalhão de Choque da PM. A ordem atinge ainda a Baixada Fluminense, Niterói e São Gonçalo.Em Cordovil, na zona norte, muitas lojas chegaram a abrir, mas fecharam logo depois. Nas ruas Euclides Farias e Uranos o comércio está fechado. O mesmo acontece em Ipanema, na zona sul, e no Complexo da Maré, em Parada de Lucas, Olaria e Jacarezinho, também na zona norte. Nas proximidades da Central do Brasil, traficantes do Morro da Providência também obrigaram os comerciantes a manter as lojas fechadas. O mesmo acontece nas ruas Conde de Bonfim e Uruguai, na Tijuca.Além de lojas, escolas também fecharam hoje no Rio por ordem do tráfico de drogas. No colégio estadual Paulo de Frontin, no Rio Comprido, zona norte, alunos contaram que um homem telefonou para a diretora ordenando que as aulas fossem suspensas. ?Ficou todo mundo desesperado. Todos os pais começaram a telefonar para cá?, disse Daise Bernardo, de 16 anos, aluna do terceiro ano do segundo grau.Hoje cedo ocorreu uma explosão na Rua do Bispo, também no Rio Comprido, perto da entrada do morro do Turano. Estudantes da Universidade Estácio de Sá ficaram assustados e abandonaram o local. No bairro, boa parte do comércio preferiu não abrir as portas. A Polícia Militar deslocou todo o seu efetivo para as ruas do Rio."Boataria"O chefe de Polícia Civil do Rio, Zaqueu Teixeira, acredita que não há motivo para pânico na cidade e recomenda que os comerciantes voltem a abrir suas lojas. "Não tivemos qualquer fato concreto que explique o motivo de a população estar nesse estado de medo. Estamos levando uma mensagem de tranqüilidade porque a população pode confiar nas suas polícias", disse. Teixeira afirmou que todo o efetivo da polícia está nas ruas para acabar com o que ele classificou de ?boataria?.Quatro pessoas já foram presas hoje e encaminhadas à Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE). Todas teriam ligação com traficantes que ordenaram o fechamento do comércio e de escolas. Parte das lojas dos bairros da zona sul (Botafogo, Leme, Copacabana, Ipanema, Laranjeiras e Leblon) foram fechadas logo de manhã cedo. Comerciantes da região dizem que é a primeira vez que isso acontece.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.