Tráfico metralha família que errou caminho

Menina foi alvejada na cabeça; turistas também foram vítimas da má sinalização das ruas

Talita Figueiredo e Alessandra Saraiva, O Estadao de S.Paulo

07 Setembro 2010 | 00h00

Três casos registrados durante o feriado prolongado expuseram o perigo de se trafegar pelo Rio sem conhecimento da cidade e à mercê de uma sinalização deficiente. No mais grave deles, a menina Giseli Marques Carneiro, de 11 anos, levou um tiro na cabeça e está internada em estado grave. Ela e mais 15 pessoas de sua família, moradores da Baixada Fluminense, tiveram os carros metralhados ao ''''invadirem'''' desavisadamente uma área dominada por traficantes na zona oeste. Giseli voltava de uma festa de casamento para casa, em Belford Roxo, com a família na madrugada de sexta-feira. Após se perder tentando chegar à Avenida Brasil, a família, dividida em três carros, entrou na Favela Vila Vintém, onde foi alvejada. A menina, baleada na cabeça, está internada em estado grave, em um hospital. Sua mãe acredita que os autores dos disparos se assustaram com o comboio entrando na favela. ''''Ela estava dormindo, não chorou e não gritou. Quando percebemos, ela estava sangrando muito'''', conta Simone Carneiro. Estavam no carros os dois irmãos de Giseli - Felipe, de 14, e Gabriel, de 10 - além da avó da menina, Edna Carneiro, de 61, que levou um tiro de raspão no braço. TURISTAS Nos outros dois casos, turistas paulistas foram assaltados ao tomarem o caminho errado para o Cristo Redentor e uma família mineira, que se perdeu ao chegar à cidade pela Avenida Brasil, se viu no meio de um fogo cruzado. Em todas as ocorrências, os motoristas saíram de pontos movimentados da cidade e acidentalmente entraram em zonas de alto risco. Os cinco turistas paulistas foram assaltados na manhã de sábado, depois de errarem o caminho que os levaria ao Corcovado. O grupo de técnicos de manutenção de aeronaves, que veio ao Rio a trabalho, estava em um Palio, quando dois homens armados com fuzis os abordou no início da subida para o Morro Cerro-Corá, que fica ao lado da subida para o Cristo, no Cosme Velho, na zona sul. Os bandidos levaram dinheiro, relógios, documentos e celulares. Daniel Maria, de 27 anos, que dirigia o carro, desistiu do passeio porque não se sentiu mais seguro. A ação foi filmada por uma equipe da TV Globo que estava no local para fazer uma reportagem sobre problemas de sinalização no Rio. Na quinta-feira passada, o administrador de empresas Glower Ervilha, de 48 anos, chegava ao Rio de carro, com a mulher, a filha de 14 anos e duas cunhadas, quando foi assaltado perto das 18h30. Mineiros radicados em Brasília, eles ficaram no meio do tiroteio quando erraram o caminho para a Barra da Tijuca, na zona oeste, ao chegar à cidade, pela Avenida Brasil. Ele pegou a direção errada e, ao parar para pedir informações perto de Vigário Geral - favela onde uma guerra entre traficantes rivais resultou em tiroteios durante toda a semana - teve o carro levado por dois homens armados com revólveres. Em seguida, um PM que assistiu ao roubo trocou tiros com os criminosos, que bateram o carro do administrador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.