Trajeto Cunha-Paraty vai virar ''via ecológica''

A estrada Paraty-Cunha, que integra a chamada Estrada Real e corta o Parque Nacional da Serra da Bocaina, começará a ser recuperada. O trajeto, de nove quilômetros, está interditado desde janeiro, quando uma tromba d?água provocou a queda de barreiras. Será transformada em "estrada ecológica".Pelo projeto, a obra deve causar o menor impacto possível, reduzindo interferências como aterros e drenagens de áreas úmidas. A estrada-parque terá redutores de velocidade, mirantes naturais, guaritas, sinalização, centro de visitantes, um conselho gestor e "zoopassagens" - túneis subterrâneos para passagem de animais.A obra, uma parceria entre o Departamento de Estradas de Rodagem (DER), as prefeituras de Paraty (RJ) e Cunha (SP), Fundação Chico Mendes e Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), custará R$ 40 milhões e levará cerca de seis meses para ser concluída.Setenta homens vão fazer a drenagem, terraplenagem, pavimentação e contenção de encostas. O trajeto permanecerá interditado até o fim dos trabalhos. O DER informa que as obras começam em julho. O prefeito de Cunha, Osmar Felipe Júnior (PSDB), que participou ontem de "ato simbólico" de início das obras, diz que as máquinas estão prontas para trabalhar a partir de hoje.Felipe Júnior comemora a retomada da via. Ele lembra que o turismo na cidade caiu entre 20% e 30% por conta da redução do fluxo de paulistas que visitam o sul fluminense e passavam por ali. O comércio interno também sofreu impacto."Temos entre 500 e 600 moradores que trabalham na construção civil ou no comércio de Paraty. Essas pessoas deixaram de voltar para casa nos fins de semana", comentou.A chamada Estrada Real foi aberta pela Coroa portuguesa, para escoar o ouro e pedras preciosas extraídos em Minas Gerais. A via liga cidades mineiras ao porto de Paraty, que era liberado para entreposto de produtos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.