Transexual brasileiro morre em Milão após ser espancado

Vítima foi seqüestrada, espancada, abusada sexualmente e esfaqueada por dois jovens, que foram presos

Efe,

06 Agosto 2008 | 16h34

Um jovem transexual brasileiro morreu em decorrência dos ferimentos sofridos por dois jovens, de 19 e 17 anos, já detidos, em Milão, no norte da Itália. Eles são acusados de seqüestro, violência sexual de grupo, homicídio e ocultação de cadáver.   O episódio aconteceu no dia 29 de julho, embora o corpo tenha sido achado apenas nesta quarta-feira, 6, quando os dois supostos autores dos fatos foram detidos e, através de seu relato, a polícia encontrou o local onde estava o corpo.   Os dois jovens teriam abordado a vítima, de 30 anos, seqüestrado, espancado, abusado sexualmente dela e a esfaqueado várias vezes para finalmente abandoná-la perto de uma estrada nos arredores de Milão, onde morreu.   O responsável da polícia de Milão Francesco Messina contou que ficou "impressionado com a violência", a qual qualificou de "extraordinária e gratuita" e acrescentou que, em "tantos anos", não tinha visto "nada parecido".   A vítima, que estava ilegal na Itália, foi abordada pelos jovens de madrugada, em uma zona da periferia de Milão onde os moradores protestaram contra a degradação do lugar, e pediram um programa gratuito, ao que o brasileiro se recusou, pelo que foi obrigado a subir no carro, segundo a imprensa local.   O desaparecimento foi denunciado por outra pessoa com a qual a vítima dividia a casa, através de um advogado que apresentou a queixa.

Mais conteúdo sobre:
Itália transexual brasileiro Milão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.