Transferência de Beira-Mar seria imprudência, diz Nilmário

A transferência do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, do presídio paulista Presidente Bernardes para o Rio de Janeiro é "uma imprudência", na opinião do secretário especial de Direitos Humanos, Nilmário Miranda. Após abrir a reunião do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana (CDDPH), o ministro comentou hoje que o preso deveria permanecer no interior de São Paulo."É um preso perigoso e, no Rio, comanda o tráfico da prisão", justificou o ministro. Já no presídio paulista, Beira-Mar está cumprindo Regime Disciplinar Diferenciado (RDD) e mantido sob rigorosa vigilância.O secretário garante que nenhum direito do traficante está sendo infringido com a aplicação de tal regime. "Não existe violação de direitos humanos em relação ao Beira-Mar", afirmou.Nilmário foi o único representante do governo a comentar a transferência do traficante. O ministro da Justiça, Marcio Thomaz Bastos, não irá pronunciar-se enquanto não houver uma decisão judicial definitiva sobre a possível volta de Beira-Mar para o Rio de Janeiro, informou a assessoria do Ministério da Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.