Transferência de chimpanzé para Sorocaba é adiada

Após seis horas de espera e três tentativas frustradas de anestesiar o chimpanzé Alemão, a equipe do Santuário dos Grandes Primatas desistiu de sedar o animal e transferi-lo do Parque Ecológico de Americana para Sorocaba. Mesmo sob protesto de ambientalistas, advogados e de parte da população, o traslado estava marcado para esta segunda-feira, 30. A Prefeitura de Americana informou, por meio de assessoria, que a guia de transferência vence nesta segunda. A renovação do documento terá de ser pedida ao Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama). O tratador oficial do chimpanzé, José Antonio de Oliveira, levou um tranqüilizante misturado a um suco para o animal. Alemão usou um tapume de madeira para se esconder dos dardos que continham anestésico. Os técnicos lançaram três dardos com uma pistola de curta distância, e só um deles acertou o chimpanzé. "Como ele tirou logo do corpo, não dormiu", explicou Sandra. "Optamos por não usar o rifle de longa distância, para não ferir o animal", disse. Segundo a coordenadora do projeto GAP-Brasil (um braço do Great Ape Project, ou Projeto dos Grandes Primatas), Sandra Mandruca, o animal ficou estressado por causa da movimentação no zoológico. A diretoria do parque impediu a entrada de pessoas após as 9 horas, mas pelo menos 60 pessoas participaram de um protesto no local. Para o presidente da ONG Animal Feliz, César Gorrão, o adiamento da transferência deu tempo para que a sociedade se mobilize judicialmente para tentar manter o chimpanzé em Americana. "Estudaremos uma possível ação civil pública", afirmou. Com aproximadamente 39 anos, Alemão está há 15 em Americana. Antes, pertencia a um circo. A transferência foi pedida pelo prefeito Erich Hetzl Junior (PDT). O Ibama autorizou a mudança, depois de enviar técnicos de São Paulo e Brasília ao santuário de Sorocaba. O presidente da Comissão de Meio Ambiente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) em Americana, Gustavo Malufe, se manifestou contrário à transferência. "O santuário até comporta o Alemão, mas especialistas dizem que ele não só pode ficar aqui como sua transferência pode gerar estresse ao animal", disse. Sandra informou que Alemão ficará em um recinto sozinho, num período de adaptação. "Onde ele vive, embora seja um zoológico que trata bem seus animais, há fatores de estresse também. E para o Alemão não é o adequado", afirmou. O Santuário dos Grandes Primatas segue normas sanitárias, passou por vistorias minuciosas do Ibama e tem um quarentenário aprovado pelo Ministério da Agricultura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.