Trânsito continua tumultado no Centro de SP

O trânsito prossegue bastante difícil na região central de São Paulo por causa da chuva e dos ônibus da Viação Expresso Paulistano, estacionados há mais de 27 horas naquela área. Apesar de tudo, não houve recorde de congestionamento na cidade esta manhã na capital paulista. A maior marca, segundo a Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), foi verificada às 9 horas, com 116 quilômetros de lentidão em toda a cidade, o sétimo maior índice do ano no período matutino.Enquanto isso, os coletivos permanecem parados nas imediações da Câmara Municipal, onde a situação por pouco não ficou pior. Isso porque motoristas de táxi também queriam realizar um protesto para exigir novamente a aprovação do projeto que prevê o fim das frotas em São Paulo. Porém, com os ônibus ocupando praticamente todo o espaço disponível na região, os taxistas desistiram da manifestação. Por volta de meio-dia, uma comissão foi recebida pelos vereadores. Quanto aos ônibus, logo mais, à tarde, o novo secretário municipal de Transportes, Jilmar Tatto, também deverá se reunir com representantes do Sindicato das Empresas de Ônibus de São Paulo. O objetivo é tentar pôr fim ao tormento que tomou conta da vida dos motoristas que transitam pela região central da cidade nos últimos dias.A SPTrans, companhia que administra o transporte coletivo na capital paulista, acionou mais uma vez o plano de emergência para cobrir a ausência dos ônibus da Viação Expresso Paulistano. A empresa possui 328 carros, opera 40 linhas entre a zona Leste a região central de São Paulo, transportando diariamente cerca de 100 mil passageiros. Hoje, foram disponibilizados 177 carros para atender à demanda e, até o momento, não houve registro de incidentes.Árvore A Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) registrou, por volta de 11h00, mais uma queda de árvore de grande porte na capital em razão da forte chuva que caiu durante a madrugada desta terça-feira. Desta vez, o acidente aconteceu na Rua Joaquim Galvão, próximo à Rua Padre Pacheco, no bairro de Vila Sônia, zona Oeste. A via está completamente interditada e a Subprefeitura do Butantã já foi acionada para providenciar a remoção da árvore. Não houve vítimas.

Agencia Estado,

26 de novembro de 2002 | 12h09

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.