Trânsito é paralisado por protesto de mil pessoas no Rio

Um protesto organizado pela ONG Rio de Paz contou neste sábado, 7, com mil manifestantes vestidos de preto, que simbolizavam o número homicídios ocorridos nos três primeiros meses de 2007, para interromper o trânsito de Copacabana ao deitarem na rua por alguns minutos. "Foi um marco, tiramos mil pessoas de casa para ajudar a sociedade carioca a dimensionar o que aconteceu em três meses", disse o presidente da ONG, Antonio Carlos Costa. "Foi mais fácil assassinarem mil pessoas em 90 dias do que o Romário fazer mil gols, porque o Romário encontrou defesas interessadas em impedi-lo, já a sociedade carioca não tem defesa nenhuma", acrescentou Costa. A mesma organização, há um mês, colocou na areia da praia, em frente ao Hotel Copacabana Palace, 700 cruzes para lembrar as vítimas da violência até aquela data. Os pais do menino João Helio Fernandes, arrastado até a morte por assaltantes que haviam roubado o carro de sua mãe, e os da estudante Gabriela Prado Maia, morta há quatro anos por uma bala perdida no metrô, participaram do protesto de sábado. Agora, segundo Costa, a idéia é realizar novas manifestações a cada 500 homicídios ocorridos na cidade. "Precisamos fazer alguma coisa. Não conseguimos imaginar um americano, um inglês ou um francês convivendo com a barbárie que o carioca está vivendo. Queremos despertar a consciência da população", afirmou.

Agencia Estado,

07 Abril 2007 | 12h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.