Trânsito lento no sistema Anchieta-Imigrantes

O tráfego estava lento às 10 horas no Sistema Anchieta-Imigrantes no sentido da Baixada Santista. Estava em vigor o esquema 7 X 3, com a descida sendo feita pelas pistas norte e sul da Rodovia Anchieta e pela nova Imigrantes. O retorno à capital paulista acontecia pela antiga Rodovia dos Imigrantes.De acordo com a Ecovias, concessionária que administra o Sistema Anchieta-Imigrantes, os motoristas enfrentavam situação pior na Imigrantes, onde a morosidade começava na altura do quilômetro 12, trecho inicial da estrada, e se estendia até o quilômetro 32, no pedágio. A partir daí, a situação melhorava um pouco, mas voltava a piorar no trecho dos túneis, com pontos de parada entre os quilômetros 45 e 56.Na Anchieta, o movimento estava um pouco melhor, mas mesmo assim estavam sendo registrados 18 quilômetros de tráfego moroso rumo às praias desde o quilômetro 22, em São Bernardo do Campo, até o quilômetro 40. O tempo seguia encoberto na serra e na interligação e a visibilidade estava prejudicada. Desde o dia 26 até este sábado já passaram pelos pedágios 480 mil veículos. A previsão é de que entre 360 mil e 710 mil carros devam utilizar o sistema neste período de Réveillon.Na Baixada Santista, o movimento às 10 horas também era intenso na Rodovia Padre Manoel da Nóbrega, a partir de São Vicente, entre os quilômetros 281 e 292. Na interseção entre as rodovias Santos/Guarujá e a Piaçaguera/Guarujá, o fluxo também era grande, mas não havia registro de congestionamento.Na Rodovia Rio/Santos, o tráfego no mesmo horário era grande, mas o movimento maior era esperado para a tarde no trecho que vai da Praia Grande, em Ubatuba, até Parati, no Rio de Janeiro.A Rodovia Mogi/Bertioga tinha lentidão às 10 horas. O motivo era o excesso de veículos na chegada à Riviera de São Lourenço, no litoral norte paulista. Na Rodovia Oswaldo Cruz, o trânsito deverá aumentar bastante a partir do início da tarde no trecho de serra, para quem viaja em direção a Ubatuba.Nas Rodovias Carvalho Pinto, Ayrton Senna, Castelo Branco, Raposo Tavares, Bandeirantes, Anhangüera, Régis Bittencourt, Dutra e Fernão dias, os motoristas encontravam às 10 horas boas condições de tráfego e visibilidade.Em relação às balsas, na travessia entre Santos e Guarujá estavam sendo utilizadas cinco embarcações. O tempo de espera ocorria entre 10 e 15 minutos. Na travessia São Sebastião/Ilha Bela havia quatro balsas em operação. A espera era de cerca de 30 minutos.Paraná e Santa CatarinaMotoristas que viajam em direção às praias do Paraná e de Santa Catarina enfrentavam às 10 horas um congestionamento de cerca de 20 quilômetros na BR 376 (trecho no Paraná) e na BR 101 (trecho em Santa Catarina), entre as cidades de Curitiba e Joinville.O engarrafamento começava no trevo de Garuva (SC), que dá acesso a Guaratuba e outras praias do Paraná. Ao deixar a BR 101, motoristas que viajam para o litoral paranaense encontravam uma estrada de pista única e tráfego muito lento. No acesso ao trevo, os carros estavam parados e bloqueavam as duas pistas da BR 101 por cerca de 20 quilômetros. Quem viajava para as praias catarinenses não conseguia avançar.No sentido contrário, em direção ao Paraná, o trânsito estava normalizado e fluía bem na BR 101 e na BR 376.Matéria ampliada às 11h28

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.