Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Trânsito mata 10% dos jovens no mundo, aponta estudo

Complicações na gravidez, suicídio e violência também figuram entre as principais causas, diz OMS

BBC Brasil, BBC

11 de setembro de 2009 | 09h30

Acidentes de trânsito são a causa de 10% das mortes de jovens entre 10 e 24 anos, de acordo com um estudo realizado por pesquisadores da Austrália, Grã-Bretanha e Suíça a pedido da Organização Mundial da Saúde (OMS). A pesquisa também indica que taxa de mortalidade por acidentes de trânsito é bem mais alta entre homens (15%) do que entre mulheres (5%).

Veja também:

linkCocaína é o novo 'rebite' de caminhoneiros, diz pesquisa

A segunda causa de morte mais comum entre jovens, segundo o estudo, é a violência (6,3%), seguida de perto pelo suicídio (6%). O estudo, publicado pela revista médica The Lancet, afirma que levando em consideração todas as causas de morte, todo ano 2,6 milhões de pessoas morrem a cada ano nessa faixa etária, e que 97% dessas mortes ocorrem em países de média ou baixa renda (o Brasil está incluído neste grupo).

Esse é o primeiro estudo a investigar tendências globais para a causa de morte entre jovens, e os pesquisadores concluíram que a maior parte delas poderia ser evitada ou tratada.  Os índices de mortalidade nos países de média e baixa renda são quase quatro vezes maiores do que os de países ricos. Quase dois terços dessas mortes (1,67 milhão) ocorrem em países da África subsaariana e no sudeste da Ásia, apesar de a região abrigar apenas 42% da população nesta faixa etária.

No total, morrem mais homens do que mulheres nesta faixa etária, com exceção de regiões na África e no sudeste asiático, onde o alto número de mortes entre jovens mulheres se dá por conta de complicações durante a gravidez e o parto.  Atualmente há 1,8 bilhões de jovens nesta faixa etária em todo o mundo, o equivalente a 30% da população mundial.

Segundo a OMS, a intenção do estudo é informar os governos sobre as principais causas de morte para assistir no desenvolvimento de políticas e programas de prevenção.  "A partir dessas conclusões fica claro que é necessário considerável investimento - não apenas do setor de saúde, mas de setores que incluem educação, bem-estar, transporte e Justiça - para melhorar o acesso a informação e serviços e ajudar os jovens a evitar comportamentos arriscados que podem levar à morte", disse Daisy Mafubelu, diretora-geral assistente para a Saúde da Família e Comunidade na OMS.

Recomendações

A OMS recomenda algumas intervenções para promover a segurança, melhorar a saúde e evitar mortes entre os jovens, entre elas, fiscalizar a velocidade de carros para evitar acidentes, e impor leis mais rígidas de limite de álcool para motoristas. A OMS ainda recomenda o aumento do uso de capacetes e cintos de segurança no trânsito.

A saúde sexual e reprodutiva, diz a organização, também pode melhorar com uma melhor educação sexual, acesso a preservativos e outros anticoncepcionais, acesso a práticas seguras de aborto permitidas por lei, acompanhamento pré-natal, testes de HIV e aconselhamento e tratamento para Aids.

Para diminuir o índice de suicídios, a OMS recomenda incentivos ao envolvimento positivo dos pais na vida dos filhos e acesso a treinamentos para lidar com problemas do dia-a-dia, além da redução do uso de álcool entre jovens e do acesso a objetos letais (inclusive armas de fogo, facas, pesticidas e sedativos).

A organização também afirma que o número de mortes por ferimentos e violência pode ser reduzido de forma significativa com a melhoria de acesso a cuidados dentro da própria comunidade e a tratamento médico de emergência.

 

BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.