Transmissão clandestina de TV com cerca de 30 mil assinantes é descoberta

Três pessoas foram presas; segundo investigação, arrecadação era de aproximadamente R$ 500 mil por mês

Solange Spigliatti, do estadão.com.br

14 de junho de 2010 | 10h37

SÃO PAULO - Três pessoas foram presas, entre elas um ex-agente penitenciário, acusadas de participar de uma quadrilha responsável por transmissão clandestina de TV a cabo em Nova Iguaçu, na Baixada Fluminense.

 

Agentes da Polícia Federal iniciaram a Operação Félix por volta das 6 horas e visam cumprir quatro mandados de prisão e outros 10 de busca e apreensão. Segundo a PF, dois mandados de busca foram cumpridos. Duas pessoas continuam foragidas e um foi preso em flagrante.

 

Segundo a investigação, a empresa clandestina, chamada Nova Baixada, atuava em Nova Iguaçu e municípios vizinhos, e possui a maior rede de distribuição e clientes da região, podendo chegar a mais de 30 mil assinantes.

 

A arrecadação da empresa era de aproximadamente R$ 500 mil por mês. Foram apreendidos carros de luxo e bloqueados os bens e contas bancárias dos presos. Alguns dos investigados já haviam sido presos em flagrante pela prática dos mesmos crimes há aproximadamente dois meses.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.