Transporte coletivo decide entrar em greve em Sorocaba

Os 1.600 motoristas de ônibus das duas empresas que operam o sistema de transporte coletivo de Sorocaba, a 92 quilômetros de São Paulo, decidiram entrar em greve a partir desta quinta-feira.Eles reivindicam a reposição da inflação anual de 6,5%, mais um aumento real de salários de 3,5%. Querem ainda a elevação no valor do vale-refeição de R$ 6,00 para R$ 6,50. A melhor contraproposta oferecida pelas empresas, de um reajuste simples de 5%, foi recusada pelos motoristas.O salário base da categoria é de R$ 880,00. A greve deve atingir também os 120 motoristas de uma terceira empresa que faz a linha entre Sorocaba e Votorantim, cidade vizinha. Ontem, uma comissão, apoiada pelo Sindicato dos Condutores realizou piquetes nas entradas dos terminais para entregar aos motoristas panfletos conclamando para a paralisação. Os ônibus estão circulando com os faróis acesos para caracterizar o estado de greve. "A população está sendo informada dos rumos do movimento para não ser surpreendida", disse o presidente do sindicato, Paulo João Stausia. Segundo ele, a greve só será evitada se as reivindicações dos motoristas forem atendidas. "Já reduzimos nossa proposta inicial, que era de 10% deaumento real, mais a reposição da inflação." Cerca de 250 mil pessoas utilizam diariamente o sistema de transporte público. A prefeitura alega que se as empresas derem aumento acima da inflação para os motoristas, haverá necessidade de repassar para a tarifa o percentual a mais. A tarifa básica do transporte coletivo de Sorocaba é de R$ 1,10.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.