Transporte monitorado?

Os serviços de transporte prestados pela cooperativa Cooper Líder na zona sul (Linha 5022) são péssimos. Já enviei diversos protocolos à SPTrans reclamando da conduta de motoristas, que não param nos pontos de embarque. Sofri dois acidentes e, num deles, fiquei 15 dias com o braço paralisado, ferimento causado depois de uma freada brusca. A situação é insuportável nos pontos nos horários de pico, onde se formam filas enormes. Por que a direção da empresa Cooper Líder não disponibiliza mais veículos nesses horários? Será que teremos de fazer um abaixo assinado para solicitar à Prefeitura uma empresa que atenda à demanda de passageiros da região?ANDRÉA LUIZ AMENDOLASão PauloMarco Siqueira, da Assessoria de Comunicação Social - SPTrans, esclarece que o desempenho da Linha 5022 Vila Santa Margarida-Jabaquara foi fiscalizado no fim de julho e, naquela data, circulou conforme o programado. Com relação à reclamação da leitora, o serviço continuará a ser acompanhado e, em caso de irregularidades, a cooperativa será autuada. Com relação à conduta de motoristas e cobradores, são realizadas fiscalizações dentro dos ônibus, com agentes não caracterizados. Eles observam o comportamento dos motoristas e cobradores na condução do coletivo e no tratamento aos passageiros e na constatação de qualquer tipo de irregularidade os condutores são advertidos e podem ser suspensos ou mesmo demitidos. Há também um sistema de monitoramento remoto que permite observar toda a frota em circulação e possibilita ações em tempo real para a correção de problemas.As cartas devem ser enviadas para spreclama.estado@grupoestado.com.br, pelo fax 3856-2940 ou para Av. Engenheiro Caetano Álvares, 55, 6.º andar, CEP 02598-900, com nome, endereço, RG e telefone, e podem ser resumidas. Cartas sem esses dados serão desconsideradas. Respostas não publicadas são enviadas diretamente aos leitores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.