Trapezista morre durante apresentação em circo

O trapezista Railson Castro, de 15 anos, morreu durante uma apresentação no Circo Garjany. O circo estava instalado há cinco meses no Parque Santo Amaro, periferia de Fortaleza, e não tinha licença para funcionar.Railson fazia acrobacias para uma platéia de 300 pessoas pendurado no mastro mais alto e, quando se preparava para o encerramento de seu número, a corda se rompeu. Ele estava de cabeça para baixo, a uma altura de pouco mais de dois metros do chão.O adolescente havia aprendido o ofício, há cinco anos, no Circo-Escola do bairro Bom Jardim, mantido pela Secretaria da Ação Social do Estado do Ceará com o objetivo de tirar meninos e meninas das ruas da cidade.Segundo o dono do circo, Reginaldo Moura, o próprio adolescente fazia a manutenção do equipamento. O garoto foi levado ao hospital mas morreu antes mesmo de ser atendido. O circo foi interditado. A polícia ouviu quatro testemunhas e espera o laudo da perícia para apurar as responsabilidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.