Travesti é morta a facadas na Paraíba; menor confessa crime

Suspeito contou à polícia que agiu por vingança, pois a vítima o teria enganado e roubado R$ 800

Marcela Gonsalves, Central de Notícias

18 Abril 2011 | 15h22

SÃO PAULO - Uma travesti foi morta na madrugada da última sexta-feira, 15, após ser esfaqueada por dois rapazes em Campina Grande, no interior da Paraíba. O crime foi registrado por câmeras de monitoramento da Superintendência de Trânsito da cidade. Um menor de 17 anos confessou no domingo, 17, a responsabilidade pelo crime, que teria sido cometido por vingança

 

Segundo a delegada Cassandra Duarte, da delegacia de Campina Grande, o vídeo mostrava um veículo preto se aproximando do local onde estava a travesti. Dois dos quatro ocupantes desceram do carro e desferiram mais de 30 facadas contra ela após agredi-la com chutes.

 

 

 

O veículo foi localizado em uma casa no bairro de Catingueira após a verificação das imagens, apuração de denúncias anônimas e depoimentos de familiares. No domingo, foram cumpridos mandados de prisão e busca e apreensão no imóvel. Além do carro, foi apreendida uma das facas usadas no crime e uma espingarda. O dono da casa e principal suspeito, Antônio Pereira da Silva, foi preso.

 

No local estavam também dois irmãos de Antônio. Um deles, de 17 anos, confessou ter articulado o crime por motivo de vingança e negou o envolvimento de Antônio. A travesti teria agenciado um programa com uma prostituta para ele, mas no dia combinado o ameaçou com um estilete e roubou R$ 800. O menor alegou não ter registrado essa ocorrência pois já planejava a vingança.

 

Ele foi encaminhado para um abrigo provisório. Antônio e seu outro irmão permanecem presos. Outros dois envolvidos estão sendo procurados.

Mais conteúdo sobre:
travesti assassinato paraíba esfaqueada

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.