Travesti envolvido em escândalo na Itália é brasileiro

O travesti flagrado conversando com Silvio Sircana, porta-voz do primeiro-ministro italiano, Romano Prodi, uma das vítimas do escândalo envolvendo fotógrafos e celebridades na Itália, é brasileiro, segundo o jornal Il Tempo. Na edição desta sexta-feira, o jornal diz que Sandra disse estar acostumado a fazer programas com pessoas importantes."Sim, sou eu nesta da foto publicada pelos jornais", disse Sandra com sotaque romano-brasileiro, conforme destaca o Il Tiempo. "Atendo pessoas de todos os tipos, também políticos e seus auxiliares".A foto do travesti foi divulgada no início da semana pelos jornais italianos com autorização do próprio Sircana. Pressionado a pedir demissão, ele se manteve no cargo. Na ocasião, ele disse que era vítima de si mesmo, ao ter agido de maneira equivocada numa noite do último verão.Sircana foi flagrado pela "máfia das lentes" estacionando o carro ao lado de um travesti de seios fartos, cabelos longos e escuros, numa das ruas do bairro Parioli, de classe média alta, no norte de Roma. Sandra, vestindo um top branco, uma camisa aberta, minissaia e sandália com salto alto, foi a escolhida por Sicrana, em meio aos muitos travestis que fazem ponto no bairro. Numa das avenidas, a Campi Sportivi, homens em carros elegantes chegam a fazer filas em busca de um programa. O nome de Sircana apareceu como um dos supostos chantageados por um esquema envolvendo um grupo de paparrazzi - fotógrafos que caçam celebridades - que passou a cobrar para não divulgar as fotos que produz. No dia 12 de março, promotores de Potenza, no norte da Itália, conseguiram colocar na cadeia Fabrizio Corona, dono de uma agência fotográfica e líder do grupo que chantageava políticos, jogadores de futebol, modelos e milionários italianos para que imagens suas em situações comprometedoras não aparecessem na imprensa.Corona também está sendo investigado por instigar a prostituição e tráfico de drogas. Entre as vítimas da quadrilha, foi divulgado o nome de Adriano, jogador da Inter de Milão, que não cedeu às chantagens. Uma foto, em que aparece bêbado, cercado por mulheres, com o rosto caído numa mesa com sal espalhado na sua frente, dando a impressão, para quem não soubesse da brincadeira de que seria cocaína, foi publicada num jornal sueco.A filha do ex-primeiro ministro Silvio Berlusconi desembolsou 20 mil euros para evitar a divulgação de fotos numa noitada com amigos em Milão. Francesco Totti, capitão da Roma, é outro que teve de pagar para não ter problemas domésticos. Às vésperas do seu casamento e com a noiva grávida, algumas revistas publicaram entrevistas com Flávia Vento, ex-participante de uma das versões italianas do Big Brother, contando alguns detalhes do desempenho sexual do jogador. Para evitar a publicação das fotos da noite comprometedora, ele pagou 50 mil euros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.