Travestis brasileiros são presos na Itália em 'Operação Bicha'

Quatro travestis foram acusados de contrabando, exploração de prostituição, tráfico e imigração ilegal

BBC,

08 de fevereiro de 2008 | 17h11

Foram presos quatro travestis brasileiros nesta sexta-feira, 8, em Brescia, no norte da Itália, acusados de contrabando, exploração de prostituição, tráfico de drogas e imigração ilegal. Segundo a polícia italiana, as investigações, batizadas de 'Operazione Bischa' - Operação Bicha -, vinham sendo realizadas por dois anos e contavam com o apoio da polícia brasileira através da Interpol. Um italiano também foi preso e ainda há três travestis brasileiros foragidos, informou a BBC.   Durante a revista policial, um dos travestis autuados foi flagrado com 270 caixas de hormônios femininos, que têm importação e venda controladas, contrabandeados do Brasil. Segundo a polícia, o grupo também aliciava outros travestis em várias cidades brasileiras, incluindo Belém do Pará. Ao chegar na Itália, eles tinham que pagar a quantia de 15 mil euros para o grupo.   Um dos policiais que participou da ação disse que o nome da operação é uma referência à forma pela qual as 'cafetinas' se referiam aos travestis supostamente explorados. "As cafetinas eram travestis que conseguiram se emancipar, viraram empresárias de si próprias e depois começaram a explorar outros travestis", disse o chefe da operação policial, Carmine Grassi. "Elas controlavam tudo", acrescenta.   De acordo com o policial, a cidade e os seus arredores tinham sido divididos em 15 áreas pelo grupo, e a disputa territorial havia recentemente provocado confrontos com uma quadrilha de albaneses. Cerca de 100 pessoas foram indiciadas na operação, a maioria italianos. Muitos deles são proprietários de apartamentos alugados aos chefes do grupo para uso como local de programa ou alojamento.

Tudo o que sabemos sobre:
Operação Bichatravestis na Itália

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.