TRE do Paraná proíbe a divulgação de novas pesquisas

Maioria dos pedidos de impugnação foi feita por Beto Richa, candidato do PSDB ao governo do Estado

Evandro Fadel / CURITIBA, O Estado de S.Paulo

02 Outubro 2010 | 00h00

O Tribunal Regional Eleitoral do Paraná proibiu ontem a divulgação de pesquisas registradas pelo Datafolha e pela Alvorada Pesquisas, de Londrina, além de negar recurso apresentado pelo Ibope para rever a decisão de proibição aplicada quarta-feira.

Os resultados das coletas estavam previstos para serem divulgados hoje. A última pesquisa divulgada no Paraná foi do Datafolha no dia 16 de setembro. Há possibilidade de recurso ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

"As pesquisas não decidem eleições, mas compõem um conjunto de informações que o eleitor usa para tomar a decisão", analisou o cientista político da Universidade Federal do Paraná (UFPR) Emerson Cervi. "No Paraná, o eleitor não está tendo essa fonte de informação."

Para ele, a imagem pública do PSDB ou do candidato do partido, Beto Richa, que entraram com a maioria dos pedidos para impugnação, pode ficar maculada. "Se pede impugnação de uma (pesquisa) é uma coisa, mas pedir a impugnação de todas a partir de um determinado momento é atitude política", acentuou.

A única pesquisa em que o pedido de impugnação foi feito pelo candidato do Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), Robinson de Paula, é a do Datafolha. A alegação é de que deveria constar, na indagação sobre a realização de um possível segundo turno, todas as opções de candidaturas, mas havia apenas a opção entre os candidatos do PSDB, Beto Richa, e do PDT, Osmar Dias. Seriam ouvidas 2 mil pessoas. A decisão pela impugnação foi tomada pelo juiz auxiliar Luciano Carrasco.

A pesquisa da Alvorada deveria ouvir 1.500 pessoas. Chegou a ser liberada pela Justiça, mas a coligação do candidato do PSDB recorreu da decisão. Segundo os advogados, os dados para ponderação da amostragem estariam defasados. A decisão por acolher o recurso foi apertada, 4 a 3.

No caso do Ibope, o instituto recorreu, mas os juízes, por 4 votos a 2, decidiram não acatar o recurso. O Ibope tinha utilizado dados da Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (Pnad) de 2008 e alegou que a de 2009 tinha sido divulgada apenas no início de setembro, Independentemente das disputas na Justiça, os candidatos continuaram suas campanhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.