Trem para e é depredado por passageiros na zona norte do Rio

Segundo a empresa responsável pelo sistema, ocorreu um problema na tração da composição; estação foi fechada

Marcelo Gomes, O Estado de S. Paulo

13 Dezembro 2013 | 10h57

RIO - Passageiros de um trem que circulava pelo ramal Belford Roxo entre as estações Barros Filho e Honório Gurgel, na zona norte do Rio, na manhã desta sexta-feira, 13, quebraram vidros e bancos da composição após a interrupção da viagem.

Passageiros contaram que, após sair da estação Barros Filho, o trem ficou cerca de 40 minutos parado. Pelo sistema de autofalante, o maquinista informava que estava aguardando autorização para seguir viagem. No entanto, um trem que vinha atrás ultrapassou a composição que estava parada, o que revoltou os passageiros. Eles forçaram as portas dos vagões, desceram na linha férrea e quebraram as vidraças com pedras. Alguns assentos foram arremessados para fora. Policiais militares chegaram ao local no momento em que um grupo de pessoas tentava atear fogo ao trem que estava parado.

Houve um princípio de confusão, mas ninguém foi preso. A composição já foi retirada do local.

Segundo a Supervia, empresa responsável pelos trens, ocorreu um problema no sistema de tração da composição que parou. A circulação no ramal de Belford Roxo foi restabelecida às 10h, segundo a Supervia, mas a estação Honório Gurgel não pôde ser reaberta, "em virtude da depredação de alguns equipamentos do local", afirma a empresa por meio de nota.

Mais conteúdo sobre:
Trens Rio de Janeiro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.