Tremor foi sentido no Rio, Minas, Paraná e Santa Catarina

Moradores das zonas norte e oeste do Rio sentiram tremor por cerca de 2 segundos; no Paraná, abalo foi fraco

22 de abril de 2008 | 23h59

O tremor de terra de 5,2 graus na escala Richter que atingiu o litoral de São Paulo na noite desta terça-feira, 22, também pôde ser sentido no Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Santa Catarina. O epicentro do abalo foi a 270 km da capital paulista, no Oceano Atlântico. Moradores de bairros da zona norte e oeste do Rio, além do município de Angra dos Reis, sentiram o tremor por volta das 21 horas.    Tremor de 5,2 de magnitude atinge vários pontos de São Paulo  'Cadeira se moveu de um lado para outro', diz engenheiro  No litoral, tremor assusta a população de Santos    Dezenas de pessoas ligaram de Jacarepaguá (zona oeste), Penha, Ilha do Governador e Brás de Pina (bairros da zona norte) para o Corpo de Bombeiros informando terem sentido a terra tremer por cerca de 2 segundos. Também em Angra dos Reis, alguns bairros foram atingidos pelo terremoto.   No Rio, não houve registros de rachaduras, desabamentos ou vítimas até às 23 horas desta terça, segundo os bombeiros. Até o fim da noite, equipes da Defesa Civil Estadual faziam vistorias em diversos pontos da cidade.   Paraná   Nos bairros de Curitiba, o tremor de terra foi sentido de forma bastante fraca. Até mesmo no Corpo de Bombeiros as chamadas não foram muitas. Não houve pânico, nem registro de danos ou ferimentos. Segundo um dos plantonistas, as pessoas que ligaram estavam mais assustadas com a situação, do que necessitando da ajuda dos bombeiros. Moradores de bairros mais próximos do centro da cidade relataram pequenos tremores.   O fenômeno também foi sentido por moradores dos municípios de Piraquara e São José dos Pinhais, que ficam na região metropolitana da capital paranaense. Um caminhão do Corpo de Bombeiros de Curitiba estava circulando pela cidade para fazer uma verificação nos prédios onde houve comunicação. Também há relatos de moradores de Ponta Grossa, a 120 km de Curitiba.   Santa Catarina   Até mesmo em Joinville, no norte de Santa Catarina, o tremor foi sentido, mas também não havia registro de danos, embora o Corpo de Bombeiros mantivesse prontidão.   Em Florianópolis, a Defesa Civil recebeu aproximadamente 100 ligações de moradores assustados com os tremores. Membros do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil inspecionaram prédios atingidos pelo terremoto nas duas cidades e não constataram danos na estrutura ou qualquer perigo aos moradores.   Em Joinville, o abalo sísmico foi notado na região central, nos bairros América e Atiradores, áreas que concentram construções mais alta.   Em Florianópolis, as ligações de moradores vieram tanto da área continental, dos bairros Coqueiros e Kobrasol, como da Ilha, onde as regiões do Centro e do bairro Trindade reportaram ocorrências de tremores. O município vizinho de Palhoça também foi afetado, com registro de um prédio em que o fenômeno foi notado. A Defesa Civil esteve no local e não contabilizou nenhum estrago na estrutura.   (Colaboraram Evandro Fadel, Marco Britto, Talita Figueiredo, de O Estado de S. Paulo)

Mais conteúdo sobre:
tremor de terra

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.