Três adolescentes são detidos após roubar lan house em BH

Um dos jovens ainda estuprou namorada do dono do local - que pretende se mudar - na frente do filho dela

Eduardo Kattah, O Estado de S.Paulo

06 de janeiro de 2009 | 18h42

Três adolescentes foram apreendidos após invadirem uma lan house em Belo Horizonte na noite de segunda-feira. Os menores renderam o dono do estabelecimento e a namorada dele, que foi estuprada na frente do filho de apenas três anos de idade. De acordo com a Polícia Militar, por volta das 20 horas os adolescentes, todos com 15 anos de idade, chegaram ao local, no bairro Serra, região sul da cidade, e pediram para utilizar os computadores.  O dono do estabelecimento, de 29 anos, desconfiou dos jovens e se negou a atendê-los, alegando que, pela lei, não poderiam permanecer no local. Desde maio de 2007, uma portaria do Juizado da Infância e da Juventude de Belo Horizonte limita a frequência de menores em estabelecimentos de diversão eletrônica, como fliperamas, cybercafés e lan houses.  Diante da recusa, os menores deixaram a lan house, mas voltaram logo depois, anunciando um assalto. O homem, sua namorada e a criança foram levados para um cômodo. De porte de um revólver calibre 38, os adolescentes recolheram dinheiro e objetos e obrigaram os adultos a ficarem nus. A mulher, que havia acabado de chegar ao local em companhia do filho, foi levada para uma outra sala, onde foi violentada sexualmente por um dos menores. Ela foi estuprada na frente da criança. Um comerciante vizinho à lan house desconfiou da movimentação no estabelecimento - localizado em um dos pontos mais movimentados do bairro - e a PM foi acionada. Os policiais cercaram a lan house e apreenderam os menores em flagrante. Um deles foi capturado quando tentava fugir. Os militares apreenderam também o revólver usado na abordagem às vítimas. Os menores chegaram a atirar contra os policiais, mas a arma falhou.  Os nomes das vítimas não foram divulgados. A mulher foi levada para o hospital Odete Valadares, onde foi medicada e passaria por exames. O dono da lan house - que pediu para não ser identificado - disse que chegou a lutar com os menores. "Sinceramente, o meu comércio, vou fechá-lo e mudar para o interior que é mais tranquilo. Eu não tenho mais coragem de ficar naquela região. Ninguém sabe o que passa na cabeça de um menino desses para daqui a um ano vir se vingar, fazer uma atrocidade qualquer". Os infratores foram encaminhados para a Divisão de Orientação e Proteção à Criança e ao Adolescente (Dopcad). Após serem ouvidos, foram levados para o Centro de Integração de Atendimento ao Adolescente Autor de Ato infracional (CIA). O juiz da Infância e Juventude iria decidir sobre a internação ou não dos menores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.