Três carros alegóricos do Peruche foram destruídos pelo fogo

Um incêndio destruiu na madrugada desta sexta-feira parte do barracão da escola de samba Unidos do Peruche, em Pinheiros, na zona oeste da cidade. O prejuízo estimado é de R$ 200 mil em materiais e equipamentos. Dos cinco carros alegóricos, três foram queimados totalmente e dois parcialmente. Grande parte dos adereços também estava no barracão e foi queimada. O incidente, no entanto, não deve tirar a escola do desfile.Cerca de 25 pessoas dormiam em um alojamento no local, mas ninguém ficou ferido. Os integrantes da escola acreditam que o incêndio foi criminoso, mas a perícia ainda não divulgou laudo sobre o ocorrido. O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba de São Paulo, Robson de Oliveira, esteve no barracão e também não acredita em acidente.O incêndio começou por volta das 3 horas e o fogo se alastrou rapidamente. "Tudo que tem aqui é inflamável e queima muito fácil", explicou a cozinheira Sônia Regina Júlio, que dormia no alojamento. Ela disse que a energia elétrica acabou de repente e quando saiu para ver o que estava acontecendo o fogo já havia tomado conta do local. "Quando o bombeiro chegou só tinha o rescaldo. Foi muito rápido.""Estamos com o coração rasgado", disse o ex-presidente e conselheiro da escola Luiz Carlos Telles, enquanto conferia os estragos. Mas a idéia da diretoria é reverter o efeito causado pelo incêndio. "Agora é hora de convocar a comunidade do Peruche e unir forças para mostrar quem somos."A atual presidente, Elizabete Missio, ficou chocada com o ocorrido, mas garantiu que a escola vai desfilar. "Vamos surpreender na avenida."Para isso, a ordem é trabalhar, sem descanso. A equipe de funcionários responsável pela construção dos carros alegóricos começou o trabalho nesta sexta mesmo. "Vamos ter 14 dias para fazer o que demorou seis meses para ficar pronto. Mas nós conseguiremos", afirmou o conselheiro Djalma Martins.A Liga das Escolas de Samba está tomando algumas providências para ajudar a escola. Segundo o presidente, o importante é motivar a Peruche a criar mutirões para reconstruir o que foi perdido e levantar a auto-estima dos integrantes. "Também estamos entrando em contato com os fornecedores para doarem materiais", ressaltou.A Liga também está pedindo para as demais escolas do grupo especial doarem materiais e mão-de-obra. "Conseguimos ainda a liberação de um espaço de 2 mil metros quadrados no Anhembi para a escola retomar os trabalhos de reconstrução dos carros alegóricos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.