Três detentos são decapitados no Cadeião de Praia Grande

Três detentos foram assassinados pelos próprios companheiros de cela na noite de hoje, durante mais uma briga no Cadeião de Praia Grande. Paulo Roberto de Moura, de 50 anos, preso por tráfico; Rodrigo Estefan Silva Trindade, de 18, detido por tentativa de homicídio e José Luiz de Oliveira Souza, também com 18 e preso por assalto, foram as vítimas da vez. Segundo informou a direção do estabelecimento, os três foram decapitados. Depois da confusão, os corpos foram deixados no pátio. José Luiz foi esquartejado. Esse tipo de ação vem se tornando comum no Cadeião, que tem capacidade para 512 presos, mas abriga 788 homens.MotimO clima também foi de extrema tensão na noite de ontem no Presídio Semi-Aberto de Mongaguá. Dez detentos acabaram fugindo depois do motim iniciado por volta das 22h, quando um grupo de presos encapuzados invadiu as celas para impedir a remoção de alguns companheiros.Durante a confusão, o agente penitenciário Álvaro Pereira Lima acabou ferido nas costas e na cabeça. As telas de arame foram cortadas e os presos fugiram para a mata que circunda o estabelecimento. As rebeliões também estão se tornando rotineiras naquele presídio, cuja direção foi trocada, atendendo reivindicação dos agentes penitenciários. Um desses funcionários foi esfaqueado por um preso na semana passada, no interior de uma cela.De acordo com o futuro diretor, Ivanildo Alves de Souza, quatro dos dez fugitivos seriam sentenciados hoje. O batalhão de choque da Polícia Militar foi chamado para conter a confusão, mas o clima ainda era tenso em todo o decorrer do dia de ontem.

Agencia Estado,

24 de abril de 2002 | 17h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.