Três guardas são baleados ao impedir furto em banco

Três guardas civis metropolitanos (GCMs) foram baleados na madrugada de ontem quando tentavam impedir um furto a uma agência do banco Itaú, na Avenida Sapopemba, Jardim Grimaldi, zona leste de São Paulo. A Polícia Civil acredita que o grupo que invadiu o local tinha como objetivo roubar o cofre da agência, já que uma porta de vidro foi arrombada. Mas os ladrões não levaram nada. Esse foi o oitavo ataque a banco na capital em apenas uma semana.Uma testemunha que percebeu a movimentação dos ladrões avisou os guardas na base, a cerca de 200 metros de distância da agência. Próxima da base da GCM há também uma base da Polícia Militar. Ao receberem a informação de que havia um furto em andamento, por volta das 2h30, os guardas civis metropolitanos se dirigiram para a agência do Itaú. Lá, foram recebidos com disparos de fuzil. Uma viatura da corporação foi atingida por pelo menos dez disparos. O vidro de uma agência do Banco Bradesco, na altura do número 8.110 da avenida, também foi destruído por vários tiros.Os três guardas baleados, identificados como Ednir, Sérgio e Stevanin, foram encaminhados para o pronto-socorro do Jardim Iva. Sérgio foi atingido na cabeça e, embora esteja em estado mais grave, não corre risco de morte. Ao fugir, os bandidos deixaram um Chevrolet Astra, três maçaricos e dois botijões de acetileno, que seriam usados no furto. O caso foi registrado no 70º Distrito Policial (Sapopemba) como tentativa de roubo.OUTRO BALEADOJá no final da madrugada, uma viatura policial se dirigiu até o Pronto-Socorro do Ipiranga, na zona sul, onde um homem baleado deu entrada, afirmando ter sido vítima de bala perdida. Ele disse que foi atingido quando passava pela Avenida Sapopemba durante a tentativa de furto ao Itaú. A polícia investiga se essa pessoa teve alguma participação no crime. Até a noite de ontem, no entanto, nada havia sido confirmado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.