Três homens atiram em carro que transportava dois juizes

O carro que transportava os juizes corregedores auxiliares Karina Pinheiro d´Almeida Lins e João Maurício Guedes Alcoforado foi abordado ontem, por três homens fortemente armados, quando eles se dirigiam para o município de Brejo da Madre de Deus, no agreste. Os homens retiraram o motorista do veículo e seguiram com os juizes por alguns metros. Eles conseguiram escapar e se esconderam no mato, na beira da estrada, onde permaneceram por cerca de duas horas até se certificarem de que os agressores haviam ido embora. Seus celulares foram danificados e eles não tiveram nada de pessoal roubado. Os homens levaram uma pasta de documentosda corregedoria Geral da Justiça de Pernambuco, onde os juizes estão lotados. Os juizes acompanhavam o corregedor geral de Justiça, desembargador Fausto Freitas, em diligências na região. Eles haviam saído de Santa Cruz do Capibaribe, para visitar a juíza Andréa Rose Borges Cartaxo, que está ameaçada de morte, e seguiam para Brejo da Madre de Deus. Freitas estava em um outro veiculo, à frente. O veículo que levava os juizes auxiliares se distanciou e foi impedido de passar pela rodovia, devido a um caminhão tipo baú que se encontrava atravessado na estrada. Dali, surgiram os três homens atirando. O delegado regional de Caruaru, Ernani Francisco da Silva, trabalha com as hipóteses de assalto ou vingança. Segundo ele, pouco antes de pararem o carro dos juizes, os assaltantes roubaram motos e assaltaram o caminhão, que ficou atravessado na pista. Logo depois passou o carro com os juízes, que eles obrigaram a parar. Os juizes tiveram ferimentos leves devido à fuga, mas não foram agredidos fisicamente. O carro, que levou dois tiros, foi encontrado em um barranco na mesma área. As motos também foram abandonadas na região. O desembargador Fausto Freitas achou muito estranho o episódio, que ao seu ver, não teve característica de assalto. Ele acredita que o fato pode estar ligado ao trabalho realizado pela corregedoria na apuração de irregularidades naquela região.

Agencia Estado,

28 de abril de 2004 | 18h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.