Três ladrões de mansões são presos

Um deles teria assaltado casa dos Curiatis; vítimas os reconheceram

Josmar Jozino, O Estadao de S.Paulo

12 de setembro de 2009 | 00h00

A Polícia Civil anunciou a prisão de três ladrões de mansões e condomínios de luxo de São Paulo. Eles foram presos em operações distintas e participaram de roubos diferentes. Porém, após as prisões, cinco roubos ocorridos na capital foram esclarecidos. Um deles foi a invasão à casa da família do deputado Salim Curiati, nos Jardins, zona sul, no mês passado.

O Departamento de Investigações sobre Crime Organizado (Deic) apura se os três assaltantes são da mesma quadrilha. "Ainda não temos esses indícios. Mas não podemos descartar a possibilidade. Estamos tentando identificar os parceiros desses assaltantes", explicou o delegado Waldomiro Pompiani Milanesi, chefe da Divisão de Crimes contra o Patrimônio do Deic.

Um dos presos é Luís Antônio Calandro Filho, de 35 anos. Segundo Milanesi, o assaltante participou do roubo à mansão da família do deputado estadual e ex-prefeito Antonio Salim Curiati (PP), no Jardim Europa, em 30 de agosto. A casa foi invadida por quatro ladrões. Eles renderam a cozinheira e a empregada doméstica. Isabella, a neta do parlamentar, e o namorado, Thomas, ambos de 22 anos, estavam no quarto.

A moça pulou pela janela e fraturou o joelho. Um vigia percebeu a ação e avisou a Polícia Militar. Houve perseguição e troca de tiros. Um assaltante foi baleado. Os outros fugiram, mas deixaram para trás uma sacola com joias roubadas das vítimas.

O delegado Milanesi afirmou que Calandro participou de outro roubo a residência, em 8 de maio, na Vila Clementino, e ao arrastão de um condomínio na Lapa, em 8 de janeiro deste ano. O assaltante negou. Ele foi preso por PMs dois dias após a invasão à casa dos Curiatis.

Os PMs procuravam uma quadrilha de ladrões de casas no bairro. Calandro foi levado ao Deic. Investigadores apuraram a participação dele nos três roubos. O criminoso foi reconhecido pelas vítimas nos três casos.

Outro assaltante preso é Adanias Roberto de Lima, de 37 anos, acusado pelo arrastão a um condomínio na Vila Leopoldina, em 30 de junho. Uma das vítimas é parente do piloto Felipe Massa. Lima foi preso no mês passado.

De acordo com Milanesi, o assaltante participou de um roubo a banco, no ano passado, que culminou com a morte de um investigador. Lima negou ter matado o policial, mas confessou a participação num roubo de cargas.

O terceiro assaltante preso pelo Deic é Maiko Ricardo Hirama, de 24 anos. Ele tem passagem na polícia por tráfico. Milanesi disse que o assaltante foi um dos invasores a um condomínio de luxo na Lapa, zona oeste, em 21 de julho

A equipe de Milanesi tenta identificar os parceiros desses três assaltantes e investiga se os criminosos fazem parte da mesma quadrilha. De janeiro a agosto deste ano foram registrados 36 roubos a condomínios no Estado, sendo sete no interior.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.