Três mil policiais civis entram em greve no Amazonas

Categoria reivindica melhores salários e condições de trabalho; apenas prisões em flagrante são realizadas

Liege Albuquerque, O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2009 | 17h57

Cerca de 3 mil policiais civis no Amazonas paralisaram suas atividades nesta quinta-feira, 15, segundo o sindicato da categoria. Foram realizadas nas delegacias apenas prisões em flagrante, mas não foram registrados boletins de ocorrência ou prisões preventivas.

 

Segundo o presidente do sindicato, Ailson Andrade, os policiais civis cobram do governo do Estado melhores salários e condições de trabalho. "Tem policial ganhando R$ 500, virando a noite enquanto o Estado pagar mais de R$ 3 mil para agentes judiciários. Além disso, a frota de carros é insuficiente e tem policial trabalhando sem fardamento", afirmou Andrade.

 

O governo do Estado não se manifestou sobre a paralisação, mas assessoria do governo informou que o vice-governador Omar Aziz deve sentar em mesa de negociação com os policiais e o secretário de Segurança Francisco Sá Cavalcanti ainda esta semana.

Tudo o que sabemos sobre:
AmazonasManaus

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.