Três mortos em confronto com a polícia no Pará

Três homens, um deles fugitivo da delegacia de Concórdia do Pará, na região nordeste do Estado, foram mortos durante confronto armado com 11 policiais militares e civis. As vítimas Robson Gomes dos Reis, o Ronaldo; Lázaro Valino da Costa; e José Souza Trindade faziam parte de um bando de sete pessoas que vinham assaltando, roubando e ameaçando moradores de vilas e do povoado conhecido por Igarapé do Galho. Na quarta-feira, eles tinham recebido os policiais à bala. Ônibus de passageiros foram impedidos de trafegar pela área e as escolas deixaram de funcionar devido ao toque de recolher imposto pelo bando. Segundo o delegado de Tomé-Açu, Eduardo Rollo, foi preciso reforçar o contingente policial para tentar capturar os bandidos. Quatro deles conseguiram fugir durante o tiroteio Os mortos foram enterrados ontem em Concórdia e Bujaru. Seis moradores depuseram na polícia, contando os momentos de terror que passaram nas mãos do grupo. "Nós não queríamos mortes, mas os policiais tiveram de reagir para não morrer", explicou o delegado. A polícia apreendeu espingardas, um revólver e munição encontrados com as vítimas. Em Uruará, no sudoeste paraense, outras duas mortes aconteceram no sábado. Os crimes foram praticados por policiais militares que teriam vingado a morte de um soldado. Familiares das vítimas acusam a PM de ter agido com extrema violência. A versão policial é de que os dois homens assassinados reagiram à prisão. O delegado Roberto Teixeira, da Divisão de Investigações e Operações Policiais (Dioe) está investigando o caso.

Agencia Estado,

11 de janeiro de 2004 | 20h18

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.