Três operários mortos e três feridos em acidente em elevador

Três operários morreram e outros três ficaram feridos devido à queda de um elevador de um prédio em construção em que eles trabalhavam, hoje pela manhã, no bairro de Setúbal, na zona sul do Recife. Os seis ocupavam o elevador, que desabou na altura do décimo-terceiro andar, provavelmente porque um cabo de aço do equipamento se partiu. Morreram Manoel Amaro da Silva, Inaldo José da Silva, 37 anos, e Josival Melo do Nascimento, 40. O primeiro morreu no local; o segundo a caminho do hospital, e o terceiro ao dar entrada na emergência do Hospital Getúlio Vargas. Dos feridos, o caso mais grave é o de Isaac Francisco do Nascimento, 31 anos, que está internado no Hospital da Restauração. José Ricardo de Souza Costa, 31, encontra-se em observação no mesmo hospital, enquanto Severino Ramos Xavier, poderia receber alta ainda ontem. O operário José Fernando da Silva entrou no elevador com os seis, no térreo do prédio em construção, mas desceu no segundo andar, escapando do acidente. A obra, sob a responsabilidade da Humaitá Construções Ltda., foi embargada e o elevador interditado. O engenheiro da obra,José Olímpio Neto, disse não saber o que aconteceu, pois o elevador já havia funcionado ontem, antes do acidente, e na semana passada havia passado por uma revisão. O Delegado de Boa Viagem, João Dantas, instaurou inquérito policial para apurar as causas e a responsabilidade do acidente.E, de acordo com a chefe de segurança do trabalho da Delegacia Regional do Trabalho (DRT-PE), Josenilda Moura, auditores da DRT iniciaram investigação no local com dois objetivos: a elaboração do laudo técnico que identifica as condições de risco e o que deve ser corrigido para que o embargo da obra possa ser suspenso; e a elaboração de um relatório circunstanciado sobre o acidente, do qual também irá constar os resultados das perícias e investigações policiais. Este último tem um prazo máximo de 60 dias para ser concluído e será encaminhado ao Ministério Público do Trabalho, INSS, sindicato dos trabalhadores na construção civil e familiares das vítimas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.