Bruna Toni/Estadão
Bruna Toni/Estadão

Três pessoas morrem em cachoeira no sul de Minas, atingidas por cabeça d'água

Mortes ocorreram no Parque Ecológico do Paredão, em Guapé; banhistas foram levados por correnteza repentina

Leonardo Augusto, Especial para o Estado

01 de janeiro de 2020 | 20h26
Atualizado 02 de janeiro de 2020 | 09h42

Correções: 02/01/2020 | 09h42

BELO HORIZONTE – Três pessoas morreram nesta quarta-feira, 1, atingidas por cabeça d'água em cachoeira no município de Guapé, na região sul de Minas Gerais, a 340 quilômetros da capital. O número de mortos foi confirmado pela Defesa Civil do Estado.  Na manhã desta quinta-feira, 2, a Defesa Civil informou que as buscas foram finalizadas e que não há relatos de pessoas desaparecidas.

As mortes ocorreram no Parque Ecológico do Paredão, distante quinze quilômetros da centro de Guapé, destino muito procurado em feriados e durante o período de férias. Vídeos na internet mostram um grande volume de água descendo sobre as pedras de cachoeira no parque e de visitantes deixando o local. 

O fenômeno cabeça d'água ocorre quando chove forte na parte superior do curso d'água em que se encontra a cachoeira. O volume do rio ou córrego sobe, na maioria das vezes, abruptamente, e atinge banhistas, que, geralmente, são pegos de surpresa.

Os corpos das vítimas já foram localizados, segundo informações do tenente-coronel Flávio Godinho, coordenador-adjunto da Defesa Civil em Minas. Um, no entanto, foi visualizado, mas, por estar em local de difícil acesso, ainda não foi retirado.

Correções
02/01/2020 | 09h42

A Defesa Civil chegou a informar que o número de mortos no local teria chegado a cinco. Mais tarde, porém, corrigiu para três o número total de vítimas fatais. 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.