Três pessoas são presas no primeiro dia de 'toque de recolher'

Policiamento recebeu reforço de 800 homens e visa preservar segurança de abrigos e alojamentos

Júlio Castro, de O Estado de S. Paulo,

28 Novembro 2008 | 18h51

No primeiro dia da operação "toque de recolher", implantada pela Polícia Militar em todas as cidades atingidas pela enchente em Santa Catarina, três pessoas foram detidas, uma delas com mandado de prisão. O policiamento ostensivo, que recebeu o reforço nesta sexta-feira, 28, de cerca de 800 homens, foi anunciado pelo comando geral da polícia militar catarinense, dirigido pelo Coronel Eliésio Rodrigues. A iniciativa visa preservar a segurança nos mais de 100 abrigos e dezenas de alojamentos, além de atuar nas áreas de risco em todos os estabelecimentos comerciais e residenciais das cidades.    Veja também: Saiba como ajudar as vítimas da chuva IML divulga lista de vítimas identificadas SC pode ter mais chuva e deslizamentos Mulher fala da perda de parentes em SC Tragédia em Santa Catarina  Blog: envie seu relato sobre as chuvas  Blog Ilha do sem Blumenau  Blog Desabrigados Itajaí  Blog Arca de Noé  Veja galeria de fotos dos estragos em SC   Tudo sobre as vítimas das chuvas      Desde quinta-feira, 27, vigora uma portaria que impede a circulação de pessoas em áreas calamitosas e que ainda são consideradas de risco após ás 22 horas. A determinação é válida para o período enquanto persistir o estado de calamidade. Ela foi sucedida pela ocorrência de roubos em casas de pessoas que ainda se mantém em abrigos, além de manter o controle sobre os saques em estabelecimentos comerciais da região. A maior incidência de delitos no período de seis dias de enchentes acontece em Itajaí onde 120 agentes da polícia civil e 350 militares estão atuando.   Com a chegada dos caminhões carregados de mantimentos nas localidades, é freqüente o acúmulo de pessoas comprometendo a igualdade na distribuição da comida. Conforme o delegado da Polícia Civil André Mendes de Oliveira, a proposta é diminuir o tumulto nestas ocasiões. "O fato prejudica não só o trabalho da polícia, que demora em descarregar, como as mulheres e crianças que não conseguem ter acesso aos alimentos", comenta. A única ocorrência de saque registrado em Itajaí ocorreu na manhã de segunda-feira, 25, no Supermercado Maxxi, quando 28 pessoas foram detidas.   Cerca de oito policiais civis são responsáveis pela escolta diária dos mantimentos aos abrigos. Conforme o Tenente Coronel, Carlos Alberto Mafra, a cavalaria do Batalhão composta por 40 homens também realiza rondas ostensivas por toda a cidade de Itajaí onde cerca de 11 estão desabrigados e outros 30 mil estão desalojados.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.