AO VIVO

Acompanhe notícias do coronavírus em tempo real

Três PMs e ex-carcereiro são presos por roubo de carga

Numa operação que envolveu cerca de 50 policiais civis e militares de quatro cidades, oito pessoas suspeitas de participar de uma quadrilha de roubo de cargas foram presas ontem, em Araraquara, na região de Ribeirão Preto. Entre os detidos estão três PMs, que estavam afastados dos serviços, e um ex-carcereiro. Nove armas, munições, rádios transmissores e rastreadores da polícia, fardas da PM e um Fiat Tipo clonado foram apreendidos. A polícia acredita que a quadrilha tenha pelo menos 15 integrantes. Dos sete foragidos, quatro já têm mandado de prisão temporário decretado pela Justiça. A investigação começou em 2000. A quadrilha agia nas regiões de Araraquara, Ribeirão Preto, Piracicaba e Bauru.O delegado Jesus Nazaré Romão, da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), disse que começou a investigação a partir do incêndio criminoso na sede da Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes (Dise), em 2000. Após muito trabalho, o juiz Ruy Ribeiro Magalhães expediu 12 mandados de prisão temporário contra os suspeitos. Ontem, a operação em conjunto das polícias começou às 5h, fazendo prisões em vários bairros.Os PMs detidos são os cabos Marco Antonio Luquini (afastado por recomendação médica), Luiz Ricardo Femia e Ednílson Palomino, que tiraram licença não remunerada por dois anos, no início de 2002. Eles eram respeitados na cidade e a polícia ficou surpresa com suas participações em ações criminosas, que podem se estender a assalto a bancos, facilitação de fuga e lavagem de dinheiro. Para comprovar a última suspeita, o delegado pedirá as quebras dos sigilos bancário e fiscal dos envolvidos. Romão, que durante a tarde de ontem recebeu ameaça de morte por telefone, tem informações seguras de que pelo menos dois crimes foram planejados dentro de penitenciárias ou cadeias.O ex-carcereiro é Wilson Aparecido Bergonce, exonerado do cargo no início de 2001 por suspeita de participar de roubo de cargas - havia sido preso em Itapuí por esse crime. O caminhoneiro Luís Carlos Maria foi preso com o carro clonado. As mulheres presas são Joselma Fernandes, Adriana Bazáglia e Doralice Castanheira Palomino (mulher do cabo). Adriana é irmã de Francisco Bazáglia Filho, o Nelão, caminhoneiro que é considerado o líder da quadrilha. Ele está foragido. Outro líder do grupo é Eduardo Alvarenga Zucco, preso no início do ano por roubo, em Ibitinga. Ele está na Cadeia de Araraquara. Na casa de Bergonce foi apreendida a farda do ex-PM Marco Antonio Bertolo, preso há duas semanas em Osasco também por roubo de carga.Os três PMs foram levados para o Presídio Romão Gomes, em São Paulo. As mulheres foram para a Cadeia de Rincão. Bergonce foi para a Cadeia de Matão e Luís Carlos Maria está preso na Cadeia de Araraquara.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.