ErikaWittlieb / Pixabay
ErikaWittlieb / Pixabay

Três presos são mortos durante briga de facções em presídio no Pará

De acordo com a Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado, alvo era o preso Marco Aurélio Fileski, conhecido como ‘Baiano’; ele teria vínculo com o PCC e estava em uma cela isolada pois recebia ameaças

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de maio de 2019 | 06h13

BRASÍLIA - Uma briga entre facções no Centro Regional de Recuperação de Redenção (CRRR), no Pará, deixou três mortos e três feridos na manhã de domingo, 12, segundo informações da Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe).

De acordo com a Susipe, o alvo era o preso Marco Aurélio Fileski, conhecido como “Baiano”. Ele foi transferido da Bahia para Redenção, onde teria cometido um homicídio, o que o levaria ao Tribunal do Júri no dia 14.

Segundo a nota divulgada pelo órgão, "Baiano" teria vínculo com a facção Primeiro Comando da Capital (PCC) e estava custodiado em uma cela isolada pois recebia ameaças.

As informações preliminares indicam que, além de "Baiano", outros dois internos, identificados como Cícero Gomes Feitosa e Rai Souza Veiga, foram mortos e oferecidos como "brindes", expressão usada entre os detentos quando um deles é executado para agradar uma liderança.

Um dos mortos era acusado pela morte do irmão de um líder da facção rival, que está custodiado no mesmo presídio. A Susipe informou também que cinco pessoas chegaram a ser feitas reféns, mas foram liberadas após negociações.

Representantes da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Promotoria de Justiça, o juiz da comarca e diretores da unidade prisional participaram das negociações. "Ao encerramento dos atos, na tarde deste domingo, uma revista geral foi realizada e será aberto procedimento disciplinar penitenciário", diz a nota. / Agência Brasil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.