Três religiões fazem comemorações amanhã

A Igreja Católica comemora amanhã o Domingo de Ramos com missas e procissões, marcando o início da Semana Santa. O cardeal d. Cláudio Hummes, arcebispo de São Paulo, celebrará missa na Igreja da Consolação às 9h30, seguida de procissão. Também deve atrair muitos fiéis a missa que será celebrada pelo padre-cantor Marcelo Rossi, marcando a inauguração do novo Santuário do Terço Bizantino, na Avenida Nações Unidas, 22.069, a partir das 9 horas. A tradição dos ramos, que tomam conta das ruas, representa alegria, vida e esperança ou uma confirmação de que os fiéis pretendem ser conduzidos por Cristo. O domingo que antecede o da Páscoa lembra a entrada de Jesus em Jerusalém. Como boa parte das festas religiosas, a Páscoa tem sua origem relacionada aos fenômenos da natureza. Há milhares de anos, os pastores do Hemisfério Norte comemoravam a chegada da primavera com festa. No cristianismo, a Páscoa passou a significar libertação, como a Páscoa judaica, ou Pessach, que comemora a saída dos hebreus do Egito. Liderados por Moisés, eles deixaram a escravidão e saíram em busca da Terra Prometida. Travessia - O Pessach, que dura uma semana, começa hoje. Durante esse período, come-se pão ázimo (não fermentado). É a festa mais familiar de todas as celebrações judaicas. Nas duas primeiras noites, há um jantar ritual, o Seder, com orações e uma comida especial. Também os budistas promovem festas amanhã. É a Festa das Flores (Hanamatsuri), que começa às 9 horas com os fiéis oferecendo flores e banhando a estátua de Buda com chá adocicado. É também o momento em que os budistas fazem pedidos e agradecem pelas graças alcançadas. A Festa das Flores será na sede da Risho Kossei-Kai do Brasil (Rua Doutor José Estefano, 40, na Vila Mariana).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.