AFP PHOTO / Ulisses Goncalves de Sousa
AFP PHOTO / Ulisses Goncalves de Sousa

Três são detidos por saquear barco que naufragou no Pará

Embarcação foi içada à superfície; presos tentavam retirar pertences das vítimas

O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2017 | 20h26

Três pessoas foram detidas nesta quinta-feira, 24, quando tentavam saquear a embarcação que naufragou na madrugada de quarta no Pará, segundo informações da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup). Pelo menos 21 pessoas morreram no acidente com o barco Capitão Ribeiro, que seguia pelo Rio Xingu entre os municípios de Porto de Moz e Senador José Porfírio, no sudoeste do Pará.

Segundo a Segup, os detidos foram levados à delegacia local. Na embarcação ainda naufragada, que foi içada à superfície na tarde desta quarta, estavam os pertences das vítimas. Segundo o dono do barco, 48 pessoas estavam a bordo no momento do acidente. 

A embarcação Capitão Ribeiro não tinha registro fornecido pela Agência Estadual de Regulação e Controle de Serviços Públicos (Arcon). O barco saiu Santarém e seu destino final era Vitória do Xingu, mas havia paradas nos município de Monte Alegre, Prainha, Porto de Moz e Senador José Porfírio. O trecho do Xingu onde ocorreu o naufrágio é conhecido por fortes correntezas e tem profundidade de até 30 metros.

Segundo comunicado da Arcon, a embarcação pertence à empresa Almeida e Ribeiro Navegação Ltda e realizava “transporte clandestino de usuários”. Embora tivesse sido notificada pela fiscalização da Arcon no dia 5 de junho deste ano para que providenciasse a regularização, nenhum diretor da empresa compareceu ao órgão público. Ou seja, ela continuava irregular, mas navegando normalmente pelos rios da região.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.