Três vítimas de queda de elevador em hospital permanecem internadas no Rio

Oito pessoas estavam no elevador do Hospital Federal de Bonsucesso que despencou 10 metros

Tiago Rogero, estadão.com.br

25 de maio de 2011 | 10h43

RIO - Continuam internadas três das oito vítimas da queda de um elevador na terça-feira no prédio principal do Hospital Federal de Bonsucesso (HFB), na zona norte do Rio. O equipamento despencou do terceiro andar, uma altura de 10 metros. A assessoria de imprensa do Ministério da Saúde, responsável pelo HFB, informou que o elevador sofreu uma pane, apesar de ter passado por manutenção no último fim de semana.

Estavam no elevador sete funcionários do HFB e um médico da secretaria municipal de saúde de Duque de Caxias, que visitava uma amiga. A queda, segundo a assessoria, foi amortecida pelo freio de emergência.

No entanto, a enfermeira Nádia Valéria Damas Evangelista sofreu um choque na medula. Ela foi levada ao Hospital de Saracuruna, em Duque de Caxias, na região metropolitana, para fazer uma ressonância magnética e voltou ao HFB, onde está em observação no Serviço de Neurocirurgia.

Também estão internados o médico Aníbal Prata e o enfermeiro Júlio César Borges. Aníbal sofreu uma fratura no tornozelo e Júlio, no fêmur. Os dois serão operados na quinta-feira, 26.

Policiais da 21ª DP (Bonsucesso) estiveram no hospital na terça-feira para periciar o elevador. Agentes da Polícia Federal ouviram os depoimentos de funcionários e também do responsável pela empresa que faz a manutenção dos equipamentos. A assessoria de imprensa informou que o HFB também abriu uma sindicância para apurar as causas do acidente e tomará as providências necessárias após a conclusão da investigação. "O Hospital Federal de Bonsucesso lamenta o episódio e se solidariza com as vítimas do acidente", informou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.