TRF nega habeas corpus e Paulo Li continuará preso

O Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF 3) negou ontem habeas corpus ao chinês Li Kwok Kwen, o Paulo Li, acusado de liderar organização criminosa para importação irregular de eletroeletrônicos. Por unanimidade, a 1ª Turma do TRF-3 acolheu os argumentos da procuradora regional da República Luiza Cristina Fonseca Frischeisen e manteve a prisão cautelar de Li. A procuradora destacou o poderio econômico do réu. "Pelas condições pessoais do acusado verifica-se que possui somas financeiras, bem como contatos internacionais que lhe permitiriam, se posto em liberdade, empreender fuga, frustrando a aplicação da lei penal."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.