Tribunal suspende demissões na EMBRAER até dia 5

O Tribunal Regional do Trabalho de Campinas (TRT) decidiu nesta sexta-feira suspender as demissões de mais de 4 mil funcionários da Embraer até 5 de março, quando ocorrerá uma reunião da empresa com trabalhadores para se tentar um acordo. A Embraer anunciou corte de 20 por cento de sua força de trabalho, cerca de 4.200 funcionários, na semana passada afirmando que a crise internacional pesou sobre as encomendas de aeronaves. O presidente da companhia, Frederico Curado, reuniu-se com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva esta semana, quando manteve as demissões e afirmou que houve uma queda de 30 por cento nas encomendas até 2012 por cancelamentos ou adiamentos. A suspensão das demissões ocorreu após pedido de liminar pelos sindicatos de metalúrgicos de São José dos Campos e Região e de Botucatu, em São Paulo. Em nota, o sindicato de São José dos Campos afirma que a companhia "não estabeleceu nenhum tipo de negociação antes de oficializar a demissão em massa". Representantes da Embraer não puderam ser contatados imediatamente. Se um acordo não for alcançado na audiência de conciliação de 5 de março, o caso vai para seção de dissídios coletivos do tribunal, onde será julgado por uma junta de 12 desembargadores, informou a assessoria de imprensa do tribunal. A decisão sobre a continuidade das suspensões durante o julgamento dependerá de decisão de juiz na audiência da próxima semana. Às 11h59, as ações da Embraer exibiam queda de 2,67 por cento, cotadas a 6,58 reais. No mesmo horário, o Ibovespa recuava 1,2 por cento. (Reportagem de Alberto Alerigi Jr.)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.