Trio mata com tiro na cabeça filho de ex-prefeito de Marília

Um trio mascarado matou com um tiro na cabeça Rafael Almeida Camarinha, de 23 anos, filho do ex-prefeito de Marília, no interior de São Paulo, Abelardo Camarinha (PSB), apontado pela polícia como um dos mandantes do atentado que destruiu as instalações do jornal "Diário de Marília" e das Rádios Dirceu AM e Diário FM, em 8 de setembro.Um dos acusados de ser autor do atentado, Anderson Ricardo Lopes, mais conhecido como "Ricardinho", posto em liberdade pela Justiça, foi detido nesta terça como suspeito do homicídio. O assassinato causou o afastamento do delegado seccional da cidade, Roberto Terraz, que havia assumido o caso pela manhã e interrogado "Ricardinho", mas, à tarde, foi posto em férias. O delegado Tadeu Rossi, do Departamento de Homicídios Proteção à Pessoa (DHPP) da capital paulista, assumiu as investigações. Terraz foi substituído pelo delegado Antônio Almeida.Rafael foi morto por volta das 8h30 de hoje, na sua casa, no bairro classe média alta de Salgado Filho, em Marília. Armados, encapuzados e vestidos com macacões azuis, os assassinos pularam o muro da residência, entraram na habitação e atiraram à queima-roupa na cabeça de Rafael. A polícia suspeita que Rafael tenha se ajoelhado antes de morrer porque o tiro partiu de cima para baixo.A empregada de Almeida Camarinha, Ana Aparecida Manoel, de 35 anos, levou um tiro no ombro, mas conseguiu telefonar para a polícia. Rafael foi encontrado caído próximo da porta do quarto. Levado ao Hospital das Clínicas (HC), ele morreu por volta das 16 horas. Os bandidos fugiram num Gol prata. Até as 19 horas de hoje, a polícia não tinha liberado "Ricardinho" e outros dois detidos como suspeitos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.