Triplica número de mortes em rodovias estaduais do Paraná

Neste ano, em 232 acidentes, 21 pessoas morreram, contra 219 acidentes com sete mortos no feriado de 2007

Evandro Fadel, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2008 | 14h52

Apesar da redução em 67% nas mortes registradas nas estradas paranaenses sob jurisdição da Polícia Rodoviária Federal, as ocorridas nas outras rodovias fizeram com que o feriado de Corpus Christi, no período entre a noite de quarta-feira e a meia-noite de domingo, fosse um dos mais violentos, com o triplo de mortes em relação ao ano passado. No total, 23 pessoas perderam a vida.   Em um dos acidentes mais graves, na noite de domingo, seis pessoas morreram quando dois carros bateram de frente na PR-468, entre Boa Esperança e Janiópolis, na região centro-oeste. Quatro ocupantes de um Gol morreram na hora, enquanto outra passageira morreu na manhã desta segunda-feira, 26.   O motorista do outro carro, um Fiesta, também morreu no momento do acidente. Três outras pessoas foram levadas em estado grave para um centro hospitalar de Campo Mourão, onde permaneciam ontem.   Este foi um dos 232 acidentes registrados pela Polícia Rodoviária Estadual, que resultou em 219 feridos e 21 mortos. Os policiais fizeram, ainda, 3.803 autuações no período. No ano passado, tinham sido 219 acidentes com 198 feridos e sete mortos, além de 2.930 autuações.   A Polícia Rodoviária Federal registrou 94 acidentes, que resultaram em 71 feridos e dois óbitos, contra 89 acidentes, 73 feridos e seis mortos no ano passado. A estimativa é que a frota tenha aumentado em 12% em um ano. Segundo as polícias, o excesso de velocidade e ultrapassagens em locais não permitidos continuam provocando a maioria das mortes.   Nesta madrugada, após o encerramento da Operação Corpus Christi pelas polícias rodoviárias, mais três pessoas perderam as vidas em uma estrada da região noroeste do Paraná.   Em um local reto, com pista dupla e placas alertando para velocidade máxima de 60 quilômetros, uma BMW, dirigida por Marcos Reinaldo Bello, de 39 anos, assessor do presidente da Câmara Municipal de Maringá, John Alves Correa (PMDB), acabou capotando e batendo em árvores às margens da rodovia BR-376, entre Sarandi e Marialva. Além de Bello, os outros dois acompanhantes acabaram morrendo. O carro ficou completamente destruído.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.