Reprodução
Reprodução

Tromba d'água assusta banhistas na Região Metropolitana do Recife

Fenômeno no mar chegou à praia, arrancou folhas de coqueiro, derrubou cadeiras e espalhou areia pelas ruas; ninguém se feriu

Angela Lacerda, O Estado de S. Paulo

02 Março 2015 | 08h39

RECIFE - Fenômeno inédito na orla da Região Metropolitana do Recife, uma tromba d'água de pequena escala assustou moradores e banhistas na Praia de Piedade, no município de Jaboatão dos Guararapes, na tarde deste domingo, 1º.

Pessoas que presenciaram a ventania publicaram vídeos nas redes sociais que mostram o surgimento do fenômeno no mar e a chegada à praia, arrancando folhas de coqueiros, derrubando cadeiras e guarda-sóis e espalhando areia pelas ruas. Ninguém ficou ferido.

"Uma tromba d'água", classificou a meteorologista Edvânia Santos, da Agência Pernambucana de Águas e Clima (Apac), ao assistir a um vídeo que recebeu. Vários vídeos foram postados por moradores da área e banhistas, que registram a reação de medo, com gritos.

Segundo Edvânia, fatores como altas temperaturas e formação de nuvens de chuva são propícias à ocorrência do fenômeno - o que acontecia. Mas não é possível prever se vai se repetir. Segundo ela, foi de algo localizado, que, pela proporção, não foi registrado em imagens de satélite. 

Ela explicou que há dois sistemas atuando nesse momento em Pernambuco: a Zona de Convergência Intertropical (ZCIP), que vem do oceano trazendo umidade, e o Vórtice Ciclônico de Altos Níveis, já presente no Estado. Os dois trazem umidade e nuvens mais densas. A atuação desses dois sistemas ao mesmo tempo traz umidade para a costa e, ao encontrar altas temperaturas, podem estimular a ocorrência de tromba d'água. A Apac vai analisar e estudar as imagens.

A professora de Educação Física Rebeca Santos estava na praia vizinha de Boa Viagem, no Recife, viu o "cone" que se formou no mar e sua chegada à praia, em forma de ventania. Pela direção do vento, ela percebeu que não seria atingida, mas se assustou. "Era uma coisa rara, nunca havia visto nada parecido aqui, deu um susto grande", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.