Tropa de choque encerra rebelião em Araraquara

Após quase 15 horas de negociações sem sucesso, a Tropa de Choque da Polícia Militar invadiu, por volta das 12 horas deste domingo, 4, a Fundação Casa Escola de Araraquara (ex-Febem) e encerrou a rebelião iniciada às 21h30 de sábado, 3.De acordo com a assessoria de comunicação da fundação, cinco pessoas foram mantidas reféns pelos rebelados, sendo três funcionários e dois internos. Quatro deles foram liberados durante a madrugada e o último foi libertado com a ocupação da Tropa de Choque. Segundo a Polícia Militar, o motim começou quando dois adolescentes iniciaram uma briga e, na tentativa de evitar mais tumulto, os agentes acabaram piorando a situação e levaram socos e pontapés dos internos.Fogo em colchõesAinda segundo a PM, durante a rebelião, os adolescentes atearam fogo em colchões e roupas e ocuparam o telhado da fundação armados com canos de ferro e facas, que foram encontradas na cozinha profissionalizante da unidade.Porém, nesta segunda-feira, 5, uma sindicância será aberta para investigar as causas da rebelião. Segundo a assessoria de comunicação do órgão, há suspeita de que os internos tenham sido incitados por funcionários. A primeira reivindicação dos internos foi a ampliação da visita para tios e primos, além da atual permissão dada para pais e mães. Depois, os adolescentes solicitaram a entrega de mais cigarros.Atualmente, 43 adolescentes estão internados na unidade de Araraquara. A capacidade da Casa é de cerca de 70 internos. (Matéria alterada às 14h50, com novas informações)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.