Truques para deixar ambientes maiores

Nada deve comprometer circulação entre cômodos, dizem arquitetos

Olívia Fraga, O Estadao de S.Paulo

14 de dezembro de 2007 | 00h00

Se aquela bela reforma é impossível de fazer - ou o dinheiro anda curto -, a decoração bem pensada pode fazer maravilhas dentro de casa. Pequenos truques, de solução muito eficaz, ampliam espaços sem comprometer o bolso."Menos é mais" continua valendo como máxima em decoração. Quando o imóvel é pequeno, então, o conceito é puro ouro. Nada deve comprometer a circulação entre os cômodos e até entre os móveis, por isso, a primeira ação é se desfazer do que não tem função na casa - mesas laterais podem substituir bem a famosa mesa de centro; a velha estante, nas mãos de um bom marceneiro, vira rack e até bufê para acomodar peças da cozinha pouco usadas. Marcenaria sob medida faz toda a diferença: evita um ambiente carregado e valoriza os objetos queridos da família. É opinião unânime entre os decoradores que o espelho é dos elementos mais interessantes quando usado para fazer o ambiente "dobrar" de tamanho. "O espelho provoca um efeito importante na cena doméstica, e mascara dimensões modestas", explica a arquiteta Paula Bittar. Usado de fora a fora em paredes, ele pode simular uma "segunda sala de estar" no living, refletir a iluminação em lavabos e quartos, e até fingir um pé-direito mais alto, se for colocado próximo ao teto. Elegante, o espelho rebate luz como poucos. "Costumo recomendar até em lugares maiores, porque ele ajuda a preencher a casa."SEM QUEBRARSão Paulo é uma cidade onde se vive muito de aluguel. Evidentemente, casas e apartamentos locados dão mais trabalho na hora de montar: ambientes compartimentados ainda são a regra no mercado imobiliário (embora as construtoras estejam investindo em plantas mais abertas) e nem sempre há permissão para quebrar paredes e mudar a disposição dos cômodos.Nesta equação complicada, sempre saem ganhando os imóveis que reúnem, num só ambiente, as áreas sociais da casa. Cozinha, salas de estar e jantar e até o home theater ficam melhores se estiverem conjugados - ainda que não possa quebrar tudo, tente dividir com meias-paredes. Ajuda bastante. "A integração sempre dá certo, em pequenas e grandes áreas", afirma a arquiteta Paula. Quando a troca do piso for necessária, escolher o mesmo tipo de revestimento para cobrir esses cômodos também ajuda e fica bonito. Cor e luz são importantes aliados em áreas pequenas. Em geral, a cor escura diminui, e a clara amplia, mas há exceções. "Não existe regra em decoração. Já fiz um lavabo minúsculo com uma parede marrom-escura e um espelho, e ficou ótimo", recorda-se Paula. Ainda assim, se quiser ousar nas cores, cuide para que haja boa iluminação e evite pintar todas as paredes do mesmo tom, mantendo o teto branco. Aliás, às vezes é preciso lidar também com tetos baixos, entre 2 metros e 2,50 metros. A iluminação embutida, feita por dentro do forro, costuma dar certo até nesses casos. "O barato da iluminação com forro rebaixado é que as lâmpadas podem ser mais econômicas, direcionáveis, e distribuem melhor a luz no espaço. Isso ajuda a ampliá-lo", diz Paula. Outro truque: a luminária na sala de jantar deve ficar cerca de 1, 5 metros de distância da mesa - quanto mais próxima, maior a "ilusão ótica" de um pé-direito amplo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.