TSE decide que Serra pode usar imagem de Lula

Se depender do Tribunal Superior Eleitoral, o presidenciável tucano José Serra pode, por ora, continuar usando a imagem do presidente Lula na sua campanha eleitoral, em vez de trombar com a popularidade do adversário. O ministro Henrique Neves, ao mandar arquivar duas ações movidas pela coligação que apoia a candidata petista Dilma Rousseff, sustentou que só Lula tem legitimidade para reclamar de uso indevido do seu nome. "O direito (à imagem) é personalíssimo e, como tal, somente pode ser exercido por seu titular."

Vannildo Mendes / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2010 | 00h00

Programa de TV exibido na semana passada mostrou cenas de Serra, então governador de São Paulo, ao lado do presidente. O narrador destaca que são dois "líderes experientes" e "homens de história". Os partidos da coligação de Dilma entenderam que o objetivo era confundir o eleitor, criando uma "armadilha propagandista" que liga Lula a Serra. Os próprios aliados do tucano mostraram insatisfação, mas Serra, em queda livre nas pesquisas, insiste em testar a fórmula por mais algum tempo antes de mudar o rumo da campanha.

O presidente do PT, José Eduardo Dutra, informou que a coligação vai recorrer da decisão ao plenário do tribunal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.